poder

Sem adversários, Moisés pode nadar de braçada, alerta Maldaner

Foto: Agência Câmara

O deputado federal e presidente do MDB catarinense, Celso Maldaner, quer que o partido defina o quanto antes o pré-candidato a governador pela sigla para 2022. Isso para que Carlos Moisés da Silva não nade "de braçada" para a reeleição. A posição de adiantar o nome tem resistência dentro do próprio MDB.

"Se não tiver um entendimento o quanto antes entre Antidio Lunelli, Celso Maldaner e Dário Berger, vai inviabilizar a candidatura do MDB. O que vai acontecer: o Moisés vai andar de braçada sem adversário até fevereiro ou março", diz, citando o prazo de encerramento do prazo para filiações. 

Nos bastidores, lideranças ligadas a Moisés afirmam que o governador deve deixar a escolha partidária para os últimos momentos. Por enquanto, Moisés governará sem partido e com acordo de governabilidade junto ao próprio MDB, mais Progressistas, Republicanos, PSD, PL, e outros. 

A manutenção pela governabilidade joga para frente a decisão de lançamento das pré-candidaturas, o que dividiu o MDB catarinense. Por influência da bancada do partido na Alesc, a escolha ficou para 15 de fevereiro de 2022, mas corre o risco de nem acontecer caso haja entendimento entre os três postulantes. 

"[Desse jeito], O Moisés não vai ter adversário até fevereiro ou março. É muito preocupante. É claro que no momento em que o Moisés decidir por um partido ele vai encontrar adversário, mas o MDB tinha que definir o quanto antes", aponta Maldaner. 

A preocupação do líder partidário tem origem, entre outras coisas, no curto espaço de tempo para compor alianças e posicionar nomes em alternativa à reeleição de Moisés. O deputado cita o acordo com o DNIT assinado em Brasília para destinação de recursos estaduais para rodovias federais como um dos movimentos que consolida o governador como candidato competitivo. 







logo_rodape.png

Rua Adolfo Melo, 38 - Sala 902 - Centro | Florianópolis-SC | CEP: 88015-090 |
(48) 3298-7979 | jornalismo@adjorisc.com.br