INFRAESTRUTURA

Rede de gás natural catarinense recebeu cerca de R$ 68 milhões de investimentos em 2021

Construção de 84,8 km de rede foi o melhor resultado em 20 anos, mas Estado enfrenta restrições na capacidade do gasoduto de transporte

Fernanda Kleinebing | Agência Adjori/SC de jornalismo
Foto: Divulgação/SCGás

A Companhia de Gás de Santa Catarina, SCGÁS, divulgou nesta terça-feira (14), o Relatório Integrado da Administração referente ao exercício de 2021. O documento reúne, entre outras informações, o desempenho econômico da distribuidora e informações comerciais, que mostram o avanço da rede de gás natural em Santa Catarina.

Neste período, foram investidos R$ 71,6 milhões na construção de novas redes e atendimento a clientes, cerca de 96% do valor orçado pela Companhia. Do total, mais de R$ 68 milhões se destinaram à construção de novas redes de distribuição de gás. A implantação de 84,8 km de novas redes pelo estado representa um crescimento de 51% em relação à rede construída em 2020. Trata-se do melhor resultado de expansão desde 2001.

Entre os principais projetos de expansão de rede, destaca-se o Serra Catarinense, no qual foram investidos R$ 12,9 milhões na construção de 9,9 km de rede de distribuição. O projeto objetiva levar o insumo para a serra catarinense, considerando que, atualmente, a distribuição está concentrada no litoral. 

Com 1.344 km de rede, Santa Catarina se mantém como o segundo Estado do país com maior número de cidades com cobertura de gás natural, de acordo com a Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado (Abegás), que compara o número de municípios atendidos em todo o país. A rede de gás natural passa por 69 municípios. Alguns deles também são atendidos pelo modal Gás Natural Comprimido (GNC), quando o insumo chega por meio de caminhões. O gás natural é utilizado nos segmentos industrial, veicular, comercial, residencial, geração distribuída (cogeração e geração na ponta) e matéria-prima.

Atendimento a catarinenses

Em 2021, 1.853 novas unidades consumidoras nestes diferentes segmentos passaram a utilizar gás natural no Estado.  O incremento no número de catarinenses atendidos e a recuperação econômica do Estado aumentou a média de insumo distribuída. O valor do consumo de gás natural em 2021 aumentou 19,5% quando comparado à 2020 e 11,9% em relação à 2019, ano anterior à pandemia da COVID-19. 

As indústrias são as principais consumidoras, em volume, do insumo do estado. Em 2021, foram responsáveis por 83% do consumo, um aumento de 21,3% em relação ao volume consumido em 2020. Santa Catarina enfrenta, entretanto, um gargalo na infraestrutura de abastecimento, já que o Gasbol, gasoduto de transporte que traz o insumo da Bolívia até o Brasil, operado pela empresa TBG, apresenta restrições na capacidade. Essas restrições acontecem, principalmente, na Região Sul do Estado, onde indústrias termo intensivas estão localizadas. 

Para garantir o abastecimento, a distribuidora realizou, em 2021, duas chamadas públicas de suprimento adicional para o Estado. Em 2022, há ainda a possibilidade de abertura do Terminal Gás Sul (TGS), na Baía da Babitonga. O terminal de Gás Natural Liquefeito (GNL)  tem capacidade de regaseificação prevista de 15 milhões de metros cúbicos por dia, o que poderá ampliar em 179% a oferta do insumo em Santa Catarina. 

Lucro

A SCGÁS alcançou R$ 163 milhões de lucro líquido em 2021, ultrapassando o valor orçado. O resultado líquido da Companhia em 2021 cresceu 131,29% quando comparado a 2020. Segundo a distribuidora, parte desse resultado foi decorrente de decisão judicial favorável à Companhia em processo ajuizado em 2007 para a exclusão dos valores relativos ao ICMS da base de cálculo do PIS e COFINS. O reconhecimento destes créditos representou o montante de R$ 90,91 milhões líquido de tributos no resultado.

O relatório completo está disponível aqui



logo_rodape.png

Rua Adolfo Melo, 38 - Sala 902 - Centro | Florianópolis-SC | CEP: 88015-090 |
(48) 3298-7979 | jornalismo@adjorisc.com.br