educação

ADE Granfpolis divulga balanço de 2020

Foto: Divulgação

Apesar dos desafios da pandemia em 2020, o Arranjo de Desenvolvimento da Educação (ADE) Granfpolis, apoiado pelo Instituto Positivo, concluiu as ações planejadas e levou formação para professores, coordenadores e gestores escolares, além de realizar campanha e unir ainda mais a comunidade escolar da região. Com ampla participação dos 21 municípios que fazem parte da Associação de Municípios da Grande Florianópolis (Granfpolis), as ações de 2020 envolveram mais de 1 mil profissionais da Educação das redes municipais e se expandem para toda comunidade escolar.   

"O ano foi de grandes desafios. A adequação das escolas e a preocupação com a aprendizagem dos alunos fez com que a comunidade escolar se unisse para conseguir resultados. A união entre os municípios e a perseverança de fazer sempre o melhor é o que podemos destacar de 2020", comenta a coordenadora de Responsabilidade Social do Instituto Positivo, Cristiane da Fonseca. 

Um dos projetos de destaque do ano foi a Jornada de Professores. Com o objetivo de contribuir no fortalecimento dos docentes para o retorno das aulas presenciais, a iniciativa realizou encontros online para professores de 1º, 2º e 3º anos do Ensino Fundamental, com exposições e reflexões sobre preocupações e angústias em relação à escolarização das crianças no contexto da pandemia.

"A formação continuada é um processo fundamental para os educadores, dada a complexidade do trabalho pedagógico, que lida diretamente com o desenvolvimento de seres humanos" destaca a professora doutora Amanda Machado Chraim, especialista na área e que conduziu os trabalhos. 

A participação dos professores foi significativa, o que demonstra o interesse dos profissionais no assunto. Foram realizados 22 encontros com a participação de 300 professores de 18 municípios, e 94% dos participantes consideram positiva a proposta de trabalhar de forma colaborativa, em parceria com outros municípios. No final de 2020 foi aplicada uma pesquisa para compreender quais as ressignificações geradas sobre o conceito e metodologias sobre alfabetização, e haverá ainda um último encontro no início de 2021.  

Já o projeto Gestores Escolares em Movimento, criado em 2018, teve adaptações, passando do presencial para o virtual, em 2020. Os encontros tiveram participação intensa, com média de 350 gestores e coordenadores pedagógicos de escolas municipais dos 21 municípios, dispostos a dialogar e trocar experiências. Foram 52 horas de formação, em 18 encontros on-line de duas horas cada, além de dois encontros presenciais de oito horas cada, que ocorreram antes do início da pandemia. 

Seguindo a proposta de estrutura da Gestão Escolar dos Indicadores de Qualidade em Educação, criada pela Ação Educativa, Unicef, PNUD e Inep/MEC, os encontros trataram sobre gestão democrática e o acesso, permanência e sucesso na escola, temas relevantes e presentes no dia a dia dos profissionais. Também foi realizada uma palestra virtual sobre bem-estar e felicidade, com o intuito de acolher os profissionais em meio a tantas adaptações nas escolas. E em junho, foi implantado o comitê gestor do projeto Gestores Escolares em Movimento, formado por profissionais efetivos das secretarias de Educação dos municípios participantes, para a gestão e deliberação das demandas do projeto. 

Talvez um dos projetos que mais teve que se reinventar em 2020 foram as soluções educacionais para alfabetização e correção de fluxo escolar: Se Liga e Acelera Brasil, metodologias criadas pelo Instituto Ayrton Senna e aplicadas na região pelos parceiros do ADE Granfpolis. O trabalho dedicado a alunos que estão defasados nos estudos ganhou novo formato. Mesmo diante da pandemia e em um processo de educação remota, três municípios do ADE se destacaram por optarem em persistir no compromisso de aplicar as soluções educacionais para alfabetização das crianças com distorção idade x série, que ainda não tinha sido alfabetizadas: Tijucas, Paulo Lopes e Alfredo Wagner.

Profissionais das redes parceiras foram incansáveis, pensando em alternativas, possibilidades, oportunidades que fossem possíveis para aproximar uns aos outros e continuar com acesso aos estudos. Atentos, presentes, focados e resilientes, inspiraram e ensinaram, vislumbrando a continuidade e ajustes necessários para o ano seguinte. Ao todo, 70 crianças concluíram o ciclo das soluções educacionais e os professores passaram por 6 encontros de formação e troca de experiências. 

O projeto "Vamos Fazer esta Conta Juntos?", lançado em 2018, com o objetivo de contribuir com a análise de indicadores financeiros e educacionais e na tomada de decisão quanto à organização orçamentária, teve sua fase final em março de 2020. Ao lado da Associação de Municípios da Granfpolis, o Instituto Positivo realizou análise de dados e apresentou devolutivas presenciais e individuais, com recomendações e um caderno de indicadores para cada município. Vinte dos 21 municípios do ADE aderiram ao projeto e 16 deles concretizaram ações recomendadas para melhoria dos processos.  

Foi o caso do município de São Bonifácio, que conseguiu construir e aprovar a proposta do piso salarial do magistério local. Outro destaque é o município de Angelina que fortaleceu ainda mais a gestão pedagógica, desenvolvendo avaliações aos alunos, realizando devolutivas individuais aos professores, construindo um plano estratégico com base nas fragilidades identificadas e criando relatórios de feedback por turma. 

O ADE Granfpolis também realizou uma campanha de incentivo às famílias para as atividades não presenciais. Com os pais tendo que ajudar nas atividades que antes eram exclusivamente em sala de aula, a campanha estimulou a continuidade do trabalho educacional em casa e mostrou a importância da escola estar mais próxima das famílias. Em parceria com a Associação dos Municípios da Região da Grande Florianópolis, o Colegiado de Gestão em Educação dos Municípios da Foz do Rio Itajaí (CoGemfri) e o Instituto Positivo, a ação atingiu mais de 94 mil estudantes das redes municipais de Educação da região da Granfpolis e suas famílias. As peças de comunicação, criadas pela Associação dos Municípios da Foz do Rio Itajaí, foram utilizadas nas escolas e secretarias municipais de Educação de todo o território. As famílias também compartilharam fotos dos afazeres educacionais, mostrando para outras famílias que muitos estavam neste movimento de estudo com seus filhos. 

A consultora técnica do Instituto Positivo e do ADE Granfpolis, Gilmara da Silva, ressalta que, assim como as escolas precisaram de um novo processo de adaptação, as famílias precisaram se adaptar com as crianças em casa. "A campanha veio fazer um pedido aos pais para que nos ajudem a manter o vínculo indispensável entre família e escola no processo de formação integral de crianças e adolescentes. Um dos aspectos mais importantes para manter o bem-estar das crianças é permitir que os estudantes continuem ativos nos processos de aprendizagem para que possamos minimizar os impactos do isolamento social com a suspensão das aulas presenciais", destaca. 

 

Foco na Covid-19

Para atender às demandas e fortalecer os gestores municipais frente às mudanças na Educação ocasionadas pela pandemia da Covid-19, foi criado o projeto Colaboração Ativa. O espaço virtual serviu para troca de experiências entre os municípios do território, recebimento de orientações, diálogos e acolhimento mútuo, promovendo o fortalecimento dos profissionais e do grupo como um todo. 

Foram realizados sete encontros do projeto, que teve entre as principais pautas a reorganização dos calendários escolares; a realização de atividades pedagógicas não presenciais; legislação; orientações gerais para estruturar a rede de ensino para o período de suspensão de aulas; os posicionamentos do Conselho Nacional de Educação; e a definição pela construção do projeto Jornada de Professores.  

"Tivemos um ano atípico. Os pais, professores, alunos e, principalmente, diretores tiveram que se reinventar para dar conta das suas funções e cumprir com seu papel principal. Por isso, encerramos o ano com reflexão, olhando para o que passou e percebendo que tivemos aprendizados importantes e fundamentais. Para este ano, teremos novos desafios, mas com a união deste grande grupo que é o ADE Granfpolis, vamos superar", destaca a assistente educacional da Granfpolis, Bianca Silveira. 


O que são os ADEs?

Os Arranjos de Desenvolvimento da Educação (ADE) são um modelo de trabalho em rede, no qual um grupo de municípios com proximidade geográfica e características sociais e educacionais semelhantes buscam trocar experiências, planejar e trabalhar em conjunto - e não mais isoladamente, somando esforços, recursos e competências para solucionar conjuntamente as dificuldades na área da Educação. A proposta dos Arranjos foi homologada pelo MEC em 2011, e incluída como uma opção para o alcance das metas e das estratégias previstas no Plano Nacional de Educação, aprovado em 2014 (artigo 7º, parágrafo 7º).

Dedicado a estudar e a difundir a metodologia dos ADEs no Brasil, o Instituto Positivo (IP) é parceiro da Associação dos Municípios da Região da Grande Florianópolis (Granfpolis), em Santa Catarina, que em uma articulação pioneira, lançaram em 2015 o primeiro ADE do sul do país. "No início deste trabalho, eram pouquíssimos os municípios que estavam organizados em Arranjos e, para compreender na prática como o mecanismo funcionava, o IP decidiu apoiar e facilitar a implantação do ADE Granfpolis", explica Eliziane Gorniak, diretora do Instituto Positivo.

Para quem quiser saber mais sobre esse mecanismo de colaboração que, atualmente, direciona 14 grupos e envolve 243 municípios brasileiros em benefício da Educação, o Instituto Positivo disponibiliza gratuitamente o guia "Arranjos de Desenvolvimento da Educação: caminhos para implantação e gestão", um documento inédito a nível nacional que pode ser acessado gratuitamente no site do Instituto Positivo.


mais sobre:

Educação Geral



logo_rodape.png

Rua Adolfo Melo, 38 - Sala 902 - Centro | Florianópolis-SC | CEP: 88015-090 |
(48) 3298-7979 | jornalismo@adjorisc.com.br