Fecomércio discute situação das rodovias do Meio-Oeste

A precariedade das rodovias do meio oeste catarinense impacta diretamente no desenvolvimento do comércio, da indústria e do turismo. Esta foi a principal reclamação de empresários da região durante visita de Emilio Schramm, vice-presidente da Fecomércio/SC, a Fraiburgo, Caçador, Curitibanos, Concórdia e Chapecó. Empreendedores locais explicaram esta preocupação durante encontros com o líder da Federação.

Alexandre Simioni, proprietário da rede Passarela, que mantém unidades de atacarejo e supermercados em Concórdia, Caçador, Canoinhas, Curitibanos e Videira, em Santa Catarina, além de Bento Gonçalves e Erechim (RS), foi enfático. "O transporte diário de mercadorias da nossa frota de transporte sofre muito com o estado das estradas. Perdemos competitividade e possibilidades de crescimento", apontou, reforçando que este gargalo é responsável por impedir a criação de milhares de empregos.

Schramm ressaltou também as vidas perdidas diante do problema. Foram quase 500 mortes nos últimos cinco anos somente na BR 282, a maior em extensão de Santa Catarina - 680,6 quilômetros que ligam a Capital ao extremo oeste do estado - e considerada o único caminho para escoar as riquezas exportáveis destas regiões, frutos da agroindústria. "O turismo desta região, rica em atrações, obviamente também é prejudicado", ressaltou aos empresários.






logo_rodape.png

Rua Adolfo Melo, 38 - Sala 902 - Centro | Florianópolis-SC | CEP: 88015-090 |
(48) 3298-7979 | jornalismo@adjorisc.com.br