mercado

Empresários do transporte de SC lamentam aumento de preço do diesel

Foto: Agência Brasil/Arquivo

Após o anúncio do aumento de R$ 0,25 por litro de diesel pela Petrobras nesta semana, líderes empresariais do setor de transportes de Santa Catarina assinaram uma nota de repúdio contra a medida. No texto, os empresários afirmam que o diesel é o principal insumo do setor de transportes e que mais uma vez o consumidor pagará a conta. A nota é assinada pela Federação das Empresas de Transportes de Cargas e Logística de SC (Fetrancesc).

O aumento da Petrobras é de 8,89% e passa o litro do diesel de R$ 2,81 para R$ 3,06. Considerando a necessidade de mistura de biodiesel, o reajuste deve ser de R$ 0,22 por litro do combustível. "Após 85 dias com preços estáveis, nos quais a empresa evitou o repasse imediato para os preços internos devido à volatilidade externa [...], a Petrobras realizará ajuste no preço do diesel", disse a estatal em nota pública. 

O presidente da Fetrancesc, Ari Rabaiolli, lamentou o reajuste e apontou que a entidade pediu ao governo do Estado uma revisão das alíquotas sobre os combustíveis. Segundo a Federação, Santa Catarina acumula alta de R$ 560 milhões na arrecadação sobre os combustíveis nos sete primeiros meses de 2021 na comparação com o mesmo período do ano passado. 

"Em um efeito cascata, a sociedade mais uma vez pagará a conta, justamente em um período de graves prejuízos econômicos gerados pela pandemia da Covid-19", diz a nota dos empresários.



Veja o texto na íntegra:



Nota de repúdio

A Federação das Empresas de Transportes de Cargas e Logística no Estado de Santa Catarina, juntamente com os 13 Sindicatos filiados que compõem o Sistema Fetrancesc, vem à público manifestar repúdio em relação ao aumento de 8,89% no preço do óleo diesel anunciado pela Petrobrás, o qual acumula 51% de elevação somente no decorrer de 2021 e 80% nos últimos doze meses.

Responsável pelo faturamento de mais de R$ 18 bilhões, o equivalente a 5,5% do PIB e arrecadação superior a R$ 674 milhões em 2020 somente em Santa Catarina, o Transporte Rodoviário de Cargas tem o óleo diesel como principal insumo, responsável por 45% a 60% no preço do frete de carga lotação. Significa dizer que, a cada R$ 100 reais de frete de carga lotação, há uma variação de R$ 45 a R$ 60 no gasto com o diesel.

Destaca-se que, até julho de 2021, o Estado de SC arrecadou R$ 560 milhões com ICMS sobre o diesel e a gasolina a mais do que o mesmo período em 2020. Mantendo-se o crescimento no volume de vendas neste ano sobre o anterior, e projetando a variação para os próximos meses, espera-se um crescimento na arrecadação do imposto sobre os combustíveis de aproximadamente 35%, somando R$ 1,3 bilhão a mais se comparado a 2020.

Em um efeito cascata, a sociedade mais uma vez pagará a conta, justamente em um período de graves prejuízos econômicos gerados pela pandemia da Covid-19, contra o setor que transportou a responsabilidade de garantir alimento no supermercado, medicamentos nas farmácias, suprimentos nos hospitais, combustíveis nos postos e todos os demais insumos para assegurar a assistência básica à população.




mais sobre:

Economia Fetrancesc



logo_rodape.png

Rua Adolfo Melo, 38 - Sala 902 - Centro | Florianópolis-SC | CEP: 88015-090 |
(48) 3298-7979 | jornalismo@adjorisc.com.br