Economia

Em 2021, BRDE concedeu R$1,4 bilhão para empreendedores de SC e supera meta do ano

O montante representa um aumento de quase 45% em relação a 2020

No ano em que completa 60 anos de história, o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) comemora o melhor desempenho da agência em Santa Catarina. Foram 5,4 mil operações realizadas - o maior número entre os estados do Sul, onde o banco atua. Os valores em contratos firmados totalizam cerca de R$ 1,4 bilhão até a primeira quinzena de dezembro. O montante representa um aumento de quase 45% em relação a 2020. A quantidade de contratos e recursos para os setores do agronegócio, infraestrutura, comércio e serviços alavancam este crescimento expressivo.

"Com a pandemia ajustamos nosso foco, buscando viabilizar crédito especialmente para capital de giro, focado no micro e pequeno empreendedor. Nossa prioridade foi a pulverização do crédito, sobretudo para alcançar o maior número de empreendedores do estado, favorecendo uma política de abrangência social e de desenvolvimento, diretriz liderada pelo governador Carlos Moisés", ressalta o vice-presidente e diretor de Acompanhamento e Recuperação de Crédito, Marcelo Haendchen Dutra.

O diretor financeiro do BRDE, Eduardo Pinho Moreira, reforça os resultados positivos alcançados, apesar das dificuldades enfrentadas. "Nós mostramos uma capacidade de crescimento muito grande, apoiando empresas e pessoas físicas nesse momento de dificuldade. Das três agências do BRDE, a de Santa Catarina foi a que mais realizou contratos com valores abaixo de R$ 100 mil, democratizando assim o crédito", explica.

Os setores do comércio e serviços absorveram um terço de todo crédito ofertado pelo BRDE. Foram R$ 458 milhões, 110% a mais para o setor em 2020. O agronegócio recebeu investimentos de R$ 347 milhões, número que equivale a um crescimento de 145% comparado ao ano passado. No setor de infraestrutura o valor dos contratos feitos pelo BRDE aumentou 30% - recursos que financiaram obras de saneamento, asfalto, e até geração de energia limpa, seja com usinas fotovoltaicas ou PCH´s.

Linha do tempo do BRDE

Em janeiro, O BRDE assinou um aditivo contratual com o Ministério do Turismo para administrar o Fundo Geral de Turismo, o Fungetur. Foram adicionados mais R$ 100 milhões em investimentos no turismo da Região Sul do País, chegando ao total de R$ 646 milhões.

Lançado em fevereiro, novo aplicativo do BRDE, com objetivo de aproximar o banco dos clientes e facilitar o acesso a todas as opções de crédito, solicitações de financiamentos e consultas ao andamento de suas operações com o banco.

No Dia Internacional da Mulher, em março, foi criado o BRDE Empreendedoras do Sul, destinado às mulheres que empreendem. Até o momento, o BRDE contratou R$ 30,8 milhões em financiamentos para empreendedoras de Santa Catarina.

Além disso, BRDE e Banco Europeu de Investimento (BEI), disponibilizam financiamento para pequenas e médias (PMEs) empresas afetadas pela pandemia, nos três estados do Sul.

Também o banco estreou no Plano Safra 2020/21 com equalização de juros a pequenos e médios agricultores, usando recursos próprios.

Em junho o BRDE completou 60 anos, com carteira de crédito de R$ 13,5 bilhões, o que lhe coloca no ranking de melhores bancos públicos com apoio aos produtores rurais.

No mês de agosto foi lançada a websérie com Agência Francesa de Desenvolvimento, sobre projetos de energia limpa. A parceria já contabiliza 45 projetos na região Sul do Brasil, a partir de um fundo de 50 milhões de euros.

SC Mais Renda Empresarial

Em agosto o BRDE começou a operar o programa de crédito emergencial. As operações realizadas pelo banco, desde o início dos atendimentos contrataram R$ 232,5 milhões para micros, pequenos empresários e microempreendedores individuais catarinenses (MEIs) dos setores mais impactados pela pandemia. São quase 4 mil contratos distribuídos em 215 municípios - o que corresponde a 73% do território catarinense contemplado até o momento. Além dos financiamentos a juro zero, subsidiado pelo Governo do Estado, o impacto na manutenção dos empregos também é destaque: já são mais de 14,6 mil empregos preservados.

"Esse programa ofertou recursos num momento de pandemia, de desafios, para vários segmentos, notadamente o setor de turismo, de eventos, que tiveram grande dificuldade. O BRDE foi um parceiro na retomada de milhares de negócios", explica Pinho Moreira.

Em novembro, o Ministério do Turismo confirmou a disponibilidade de mais R$ 85,7 milhões para operações de financiamento às empresas do setor turístico nos três estados do Sul. No total de R$ 414,8 milhões que a pasta federal se comprometeu com crédito emergencial diante dos impactos da pandemia.

Em dezembro, o Programa Recupera Sul venceu o prêmio Banking Transformation, com atendimento a 1.707 empresas, na forma de microcrédito e capital de giro.

"Com todo esse resultado positivo em 2021, o desafio para o próximo ano é captar cada vez mais recursos e acelerar a entrega, continuar sendo um banco diferenciado e mais próximo da sociedade, atendendo os empreendedores do campo e da cidade, alcançando todos municípios catarinenses", finaliza o vice-presidente e diretor, Marcelo H. Dutra




logo_rodape.png

Rua Adolfo Melo, 38 - Sala 902 - Centro | Florianópolis-SC | CEP: 88015-090 |
(48) 3298-7979 | jornalismo@adjorisc.com.br