ARTIGOS

ARTIGO

Os benefícios da reciclagem do papel

Por equipe Two Sides Brasil

Foto: Freepik

17 de maio é o dia mundial da reciclagem - data chave para marcar a busca pela sustentabilidade das nossas ações. Instituída pela UNESCO com o objetivo de celebrar a importância da reciclagem na preservação dos recursos primários do planeta, visa aumentar a conscientização sobre a economia circular e incentivar governos, empresas e cidadãos a reciclar mais.

Para a maioria das pessoas o valor da reciclagem é claro: menos desperdício e uso mais eficiente dos recursos limitados do planeta. Mas enquanto muitos entendem as vantagens básicas de separar os resíduos e destiná-los à reciclagem, ainda há muito a ser feito para difundir os inúmeros benefícios da reciclagem e promover ações efetivas para aumentarmos taxas de reciclagem.

Os segredos do papel, o "eco guerreiro"

Quando o assunto é reciclagem, um material se destaca: o papel. Com uma taxa de reciclagem atual de 70,3% no Brasil e 74% na Europa - superando a América do Norte (66%) e a Ásia (54%) - é um dos materiais mais sustentáveis do mundo. Considerando que existe uma taxa de reciclagem máxima teórica de 78%, por causa do papel "retido" em produtos que têm uso prolongado, como livros, documentos arquivados etc. ou usados em produtos não recicláveis, como os papéis sanitários, 70% já é uma taxa de reciclagem muito boa. Aprofunde-se no processo de transformar papel usado em novo e você encontrará uma série de fatos que tornam o papel reciclado ainda mais atraente1.

O papel é altamente reciclado e é uma matéria-prima importante para a indústria papeleira. Em 2019, os 4,9 milhões de toneladas de papel usados como matéria-prima na fabricação de papel novo corresponderam a 46% da fibra utilizada no Brasil 2.

O papel não pode ser reciclado indefinidamente, pois as fibras ficam muito curtas e desgastadas para serem úteis na criação de uma nova folha de papel. Além disso, a produção não pode ser baseada apenas em fibra reciclada, pois não é possível coletar para reciclagem todo o papel usado. Assim, o ciclo verdadeiramente sustentável na produção de papel novo depende da combinação de fibra reciclada com fibras novas, advindas de árvores cultivadas.

Um campeão mundial

Uma grande história de sucesso do papel reciclado está nas embalagens. Com a pandemia acelerando a mudança para as compras online, nos últimos dois anos houve um grande aumento na demanda por embalagens de papel e papelão. Segundo pesquisa da Nielsen, as vendas do e-commerce brasileiro chegaram a R$ 53,4 bilhões no primeiro semestre de 2021, um recorde, e cresceram 31% em relação ao mesmo período em 2020.

Um relatório de 2019 da Smithers também descobriu que, mesmo antes do Covid-19, o mercado global de embalagens de papelão ondulado estava crescendo mais rápido do que o esperado, ajudado pela explosão do comércio eletrônico e desenvolvimentos nas tecnologias de impressão digital.

A excelente notícia sobre as embalagens de papel e papelão é que sua taxa mundial de reciclagem (83%), é ainda maior do que outros tipos de produtos feitos de celulose. Isso faz dele o material mais reciclado do mundo - mais que metal (80%), vidro (75%) e plástico (42%).

Mudando atitudes e comportamentos

Além de sua taxa de reciclagem muito alta, há outra vantagem importante nas embalagens de papelão: as pessoas gostam delas. A pesquisa Two Sides Trend Tracker de 2021 descobriu que 54% dos entrevistados, em 12 países, preferem embalagens de papel, por considerarem que são melhores para o meio ambiente. Quando solicitados a escolher seu material de embalagem favorito com base em uma variedade de atributos ambientais, visuais e físicos, os entrevistados indicaram o papel e o cartão como favoritos em 10 de 15 possíveis. Os números-chave incluem 76% preferindo as embalagens de papel por serem compostáveis, 54% por serem melhores para o meio ambiente e 51% por serem mais fácil de reciclar3.

As pessoas também estão se tornando mais conscientes dos valores relacionados à responsabilidade ambiental das empresas das quais são clientes, sendo a embalagem um dos indicadores mais claros de sustentabilidade.

Uma pesquisa desenvolvida em parceria com a National Retail Federation (NRF), entrevistou cerca de 19 mil consumidores de 28 países (incluindo o Brasil) e mostrou que 57% dos entrevistados estão dispostos a mudar seus hábitos de compra para ajudar a reduzir o impacto ambiental negativo. Segundo o estudo, em média, 70% desses compradores que valorizam o propósito e pagam um valor adicional de 35% do custo inicial para compras sustentáveis, como produtos reciclados ou ecológicos4.

Governos e empresas fariam bem em seguir o exemplo de seus próprios cidadãos e clientes. "Precisamos ver o desperdício como realmente é - um recurso perdido", diz Erik Solheim, ex-chefe do programa da ONU para o meio ambiente. "Não há mais lugar em nosso planeta para produtos que são usados apenas brevemente e jogados fora. Precisamos garantir que a obsolescência planejada seja coisa do passado. É hora de os países do mundo aumentarem drasticamente as taxas de reciclagem se quisermos salvar este planeta."




logo_rodape.png

Rua Adolfo Melo, 38 - Sala 902 - Centro | Florianópolis-SC | CEP: 88015-090 |
(48) 3298-7979 | jornalismo@adjorisc.com.br