Fiesc reforça apelo pela entrega do acesso ao aeroporto da Capital

'Caso não seja concluído no prazo, haverá prejuízos em termos contratuais', diz presidente da Fiesc

Foto: Filipe Scotti/Fiesc
"O terminal atual movimenta 4 milhões de passageiros por ano. Em breve teremos um aeroporto para 8 milhões de passageiros"

O presidente da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc), Mario Cezar de Aguiar, reforçou a deputados estaduais e à vice-governadora, Daniela Reinehr, a importância de o acesso ao novo terminal do aeroporto de Florianópolis ser entregue até 1º de outubro. O assunto foi abordado em reunião conjunta do Conselho Estratégico para Infraestrutura e da Câmara de Assuntos de Transporte e Logística da Fiesc, realizada nesta quarta-feira (17). Após a reunião, os participantes realizaram visita guiada às obras.

"Esse aeroporto não é só de Florianópolis, mas de Santa Catarina. Por muitos anos esperamos por melhorias e estamos em vias de receber um moderno equipamento. A questão do acesso nos preocupa porque com o ritmo atual das obras, corremos o risco de não estar concluído. Tecnicamente é possível terminar o acesso, mas tem que haver um esforço muito grande e responsabilidade de Santa Catarina no sentido de garantir essa obra. Caso não seja concluído no prazo, certamente haverá prejuízos em termos contratuais, além de arranhar a imagem do estado para novas concessões", afirmou Aguiar.

O CEO da Floripa Airport, Tobias Market, disse que tem conversado com o governador. "Estou com um bom feeling que a via de acesso está bem encaminhada. Faremos a inauguração do terminal dia 1º de outubro. Como já é sabido por todos, tínhamos um planejamento de inauguração para 1º agosto e nada mudou no nosso cronograma. Continuamos com a construção. Daqui a 75 dias esse prédio estará pronto. Teremos esses dois meses de testes e como nossa inauguração será em 1º de outubro, tivemos a possibilidade de dar um pouco mais de tempo para as lojas e restaurantes se organizarem", disse.

Em sua apresentação, Tobias convidou os participantes a pensarem, de forma mais ampla, sobre as condições de infraestrutura de Florianópolis para receber turistas. "O terminal atual movimenta 4 milhões de passageiros por ano. Em breve teremos um aeroporto para 8 milhões de passageiros. Mas é preciso refletir se teremos infraestrutura para atender", indagou ele.

"Uma solução possível é a privatização. As companhias aéreas não voam para um aeroporto. Elas voam para um mercado. É claro que infraestrutura é muito conectada com o produto turístico. Os dois precisam trabalhar juntos e funcionar", afirmou.

Ainda na reunião, o presidente da Fiesc informou que os dados do Orçamento Geral da União (OGU) e PAC mostram que em 2018 estavam previstos R$ 756 milhões para obras de infraestrutura de transporte em Santa Catarina, mas foram efetivamente pagos R$ 477 milhões, ou seja, 63% do total. Cabe destacar que 41% dos R$ 477 milhões referem-se a restos a pagar de anos anteriores. Em 2019, o orçamento da União prevê R$ 477 milhões para obras de infraestrutura no Estado. Até o momento foram pagos R$ 53 milhões (11,2% do total), mas 100% do valor é de restos a pagar de anos anteriores.

O Monitora Fiesc acompanha a execução de 46 obras de infraestrutura no estado que totalizam R$ 6,2 bilhões. Nove obras são no modal aeroviário (R$ 1,2 bilhão), duas no aquaviário (R$ 156 milhões), sete no ferroviário (R$ 157 milhões) e 28 no rodoviário (R$ 4,7 bilhões). Contudo, 87% delas encontram-se com o prazo expirado ou o andamento comprometido.


logo_rodape.png

Rua Adolfo Melo, 38 - Sala 901 - Centro | Florianópolis-SC | CEP: 88015-090 |
(48) 3298-7979 | jornalismo@adjorisc.com.br