de cara nova

Passada a disputa, o sentimento é de unidade, diz Pinho Moreira

04 Junho 2019 16:05:00

Ex-governador comentou a eleição de Celso Maldaner como presidente estadual da sigla

Andréa Leonora/SCPortais
Foto: Murici Balbinot/Arquivo

Ao avaliar como ficará o MDB estadual depois da convenção, o ex-governador Eduardo Moreira, que já presidiu o partido, lembrou que o consenso foi tentado até o último momento. Isso evitaria a disputa e o risco de cisões. "Não deu, os dois quiseram ir para a disputa e a partir desse momento as regras têm que ser aceitas. Quem ganhou foi o Celso Maldaner. Mas mostrando que o Dário tem lá sua votação. Ele não trabalhou. Enquanto o Celso percorreu o Estado e naturalmente que tinha vantagem por isso", observou Moreira, que, em entrevista anterior ao SCPortais, já tinha cantado a pedra de que Celso Maldaner deveria sair vitorioso.

Disputa não significa cisão. De acordo com o ex-governador, o MDB foi construído em cima de disputas.

"Em 1982, Pedro Ivo e Jaison Barreto; em 1986, Pedro Ivo e Luiz Henrique; depois eu e o Paulo Afonso, enfim, tivemos inúmeras disputas e isso faz parte do jogo democrático. Mas, passada a disputa, o sentimento que temos que ter é o de unidade. É percorrer Santa Catarina."

Eduardo Moreira considerou importante o fato de o novo presidente do partido já ter marcado a reunião com todos os prefeitos, em Curitibanos, no centro do Estado. "Todos precisam estar motivados. Agora é trabalho! Para quem deseja se reeleger e para quem pretende eleger seu sucessor", lembrou.

Para completar: "Não temos alternativa. É deixar passar o febrão do 17 [PSL, partido do presidente Bolsonaro e do governador Carlos Moisés], que não vai se repetir mais. E é claro que o MDB vai ser lembrado por ter feito coisas boas. Esse reconhecimento virá mais cedo do que se pensa", prevê.

No mesmo tom de entusiasmo mantido por Celso Maldaner na entrevista que concedeu um pouco antes, Moreira convoca:

"Todos nós, independentemente da posição tomada, do voto dado, vamos percorrer juntos o Estado, mostrando nossa unidade e os bons exemplos administrativos que temos por Santa Catarina a fora".

"Eu, definitivamente, não estarei nessa disputa [ao governo do Estado, em 2022]. Hoje o candidato é o Dário. É o senador, vai concluir o mandato, tem tido uma atuação importante em Brasília", decretou. Sem, no entanto, colocar ponto final na questão das tradicionais disputas emedebistas.

"Claro que até 2022 podem surgir outros nomes, em função até do processo eleitoral do ano que vem. Mas eu, não. Não entrarei em disputa com certeza! Se quisesse, se tivesse motivação, teria entrado nessa. Mas não é minha vontade, não. Tenho uma história de vida toda, o único partido que pertenci na minha vida foi o MDB, não tenho mais idade para buscar espaços. É claro que, se houver reconhecimento lá na frente, eu posso sair para senador. Como governador eu já dei minha contribuição."




logo_rodape.png

Rua Adolfo Melo, 38 - Sala 901 - Centro | Florianópolis-SC | CEP: 88015-090 |
(48) 3298-7979 | jornalismo@adjorisc.com.br