poder

Moisés se manifesta sobre pedido de afastamento e criação de CPI

Governador minimizou o caso e disse que o governo está 'à disposição da Assembleia'

Foto: Mauricio Vieira/Secom

O governador Carlos Moisés da Silva disse na noite desta quarta-feira (29) que "poderes e órgãos têm a liberdade para estabelecer as suas ferramentas de controle". A declaração foi dada momentos depois da Assembleia Legislativa aprovar a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito, a pedido do deputado Ivan Naatz (PL), e também aprovar requerimento para o afastamento do secretário de Saúde, Helton de Souza Zeferino.  

Moisés minimizou o caso e disse que o governo está "à disposição da Assembleia" para prestar os esclarecimentos e que a Casa Civil está em constante diálogo com as bancadas. Além disso, afirmou que o Executivo prima pela relação com o Legislativo.

O governador voltou a reafirmar os próprios esforços para esclarecer a compra de 200 respiradores que não foram entregues - denúncia realizada pelo site The Intercept Brasil na terça (28). Segundo ele, o governo estabeleceu uma sindicância e já há um inquérito para apuração do caso junto à Polícia Civil.

"Junto à PGE [Procuradoria-Geral do Estado] estamos avaliando as medidas judiciais necessárias, se forem necessárias e em que momento para que a gente possa garantir que o erário público não seja prejudicado", disse o governador.

Apesar da iniciativa do governo, a Alesc deu seguimento à formação da CPI. A Comissão, que terá os nomes definidos até a próxima terça-feira, terá validade de 120 dias. Além disso, já está em funcionamento na Casa a comissão especial que fiscaliza os gastos do Executivo no período de calamidade pública.


>>>Alesc instaura CPI para investigar irregularidades na compra de respiradores




logo_rodape.png

Rua Adolfo Melo, 38 - Sala 902 - Centro | Florianópolis-SC | CEP: 88015-090 |
(48) 3298-7979 | jornalismo@adjorisc.com.br