poder

'Histórico, mas sem ter o que comemorar', diz Julio Garcia

Foto: Solon Soares/Agência AL

Começou há pouco a sessão extraordinária da Assembleia Legislativa de SC (Alesc) que vai apreciar o processo de impeachment contra o governador Carlos Moisés da Silva e a vice Daniela Reinehr. No início da sessão, o presidente do Legislativo, deputado Julio Garcia (PSD), quebrou o silêncio dos últimos dias e falou sobre o processo. 

"É um dia histórico, mas sem ter o que comemorar. Muito pelo contrário. A Alesc não é autora do processo, apenas o processa. E processamos até aqui da forma mais respeitosa possível e seguindo a Procuradoria", disse Garcia. 

"É um processo sem qualquer fissura que pudesse macular o Legislativo. Nossas conversas foram republicanas e respeitosas e isso me orgulha. Aliás, neste Parlamento o que mais me orgulha é o respeito que temos", complementou. 

Após o breve discurso de Garcia, a sessão prossegue com manifestações do advogado do autor do pedido, defensor público Ralf Guimarães Zimmer Júnior, e dos acusados, Moisés e Daniela. Cada um terá 15 minutos. 

Após as defesas se manifestares, inicia a fala dos deputados. Cada partido pode escalar até cinco parlamentares e ocupar a tribuna por uma hora, sem interrupções. Ao todo, são 13 partidos, mas o tempo não deve ser ocupado por completo. 

Ao término do tempo de discussão as matérias serão votadas em plenário. Uma votação para Daniela - por primeiro - e Moisés - em seguida. 





logo_rodape.png

Rua Adolfo Melo, 38 - Sala 902 - Centro | Florianópolis-SC | CEP: 88015-090 |
(48) 3298-7979 | jornalismo@adjorisc.com.br