infraestrutura

Fiesc critica morosidade na concessão do trecho sul da BR-101

Entidade quer evitar entraves e elogia projeto da ANTT. 'Judicialização pode afastar possíveis concorrentes', disse dirigente

Foto: Murici Balbinot

O presidente da Federação das Indústrias do Estado de SC (Fiesc), Mario Cezar de Aguiar, criticou nesta quarta-feira (12) a morosidade do processo de concessão da BR-101 sul. Segundo ele, Santa Catarina precisa de uma rodovia com capacidade e segurança o mais rápido possível. 

"A BR-101 sul é muito diferente do trecho norte. Ali, há outro tráfego, outra extensão e são outros tempos. Não tem como comparar", disse, em referência a diferença de preço de pedágio entre os dois trechos. Ele cobrou que a região também tenha a rodovia concessionada, e com agilidade.

A declaração foi dada após reunião de prefeitos catarinenses com o Tribunal de Contas da União (TCU) para tratar do assunto. Comitiva liderada pela Federação Catarinense de Municípios (Fecam) entrou com pedido no Tribunal para suspender o edital da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

"Não podemos aceitar que questionamentos sejam feitos na base do achismo", disse Aguiar. Para ele, "o projeto é bom" e teve a discussão necessária. 

O temor do setor industrial é de que a questão fique parada na Justiça. "A judicialização pode afastar possíveis concorrentes ao investimento e a concorrência é que vai fazer abaixar o preço", afirmou.

Pelo edital, a tarifa máxima para veículos de passeio é R$ 5,19 em cinco praças de pedágio. Assume a concessão quem ofertar o menor valor atendendo às exigências. No trecho norte, concessionado em 2007, o preço é R$ 2,70.


logo_rodape.png

Rua Adolfo Melo, 38 - Sala 902 - Centro | Florianópolis-SC | CEP: 88015-090 |
(48) 3298-7979 | jornalismo@adjorisc.com.br