poder

Fiesc apresenta Programa Travessia ao governo de SC

Evento online reuniu dirigentes da entidade e secretários de Estado

Foto: Filipe Scotti/Fiesc
Presidente da Fiesc, Mario Aguiar, em reunião com lideranças do governo

Nesta quarta-feira (24), a Federação das Indústrias de SC (Fiesc) apresentou ao governo do Estado o Programa Travessia, iniciativa que busca a reinvenção e a recuperação da indústria e da economia de Santa Catarina pós-pandemia. O encontro online foi coordenado pelo presidente da entidade, Mario Cezar de Aguiar, e contou com a participação dos diretores da Federação e dos secretários da Fazenda, Paulo Eli, da Casa Civil, Amandio João da Silva Júnior, da Educação, Natalino Uggioni, além do secretário de Desenvolvimento Econômico, Rogério Siqueira, e do adjunto, Ricardo Stodieck.

"Nossa preocupação é dividir com o governo uma proposta para o pós-pandemia, para mitigar os efeitos da crise e fazer com que Santa Catarina possa sair mais rapidamente dessa situação. Para isso, temos que nos reestruturar e encontrar mecanismos para integrar as entidades, governo e setor produtivo na busca de um caminho que seja convergente", afirmou Aguiar.

O diretor de inovação da Fiesc, José Eduardo Fiates, explicou que o programa Travessia envolve demandas do setor produtivo como um todo e já avançou no sentido de ter um programa mais amplo para contemplar uma parceria com o setor governamental. "Hoje estamos lançando a versão executiva do documento. É um documento aberto e o Observatório Fiesc vai receber as sugestões. A ideia é construirmos um banco de projetos com propostas de empresas, empreendedores e municípios, por exemplo. Buscamos essa integração plena com o setor governamental", explicou.

Fiates informou ainda que a Fiesc tem conversado com empresas multinacionais e o Brasil, efetivamente, aparece na lista de opções não só de investimento, mas de fornecimento em relação à China. "O Brasil tem condições de ser essa alternativa", afirmou.


Programa Travessia

O objetivo do programa é promover uma travessia da crise, provocada pela pandemia, e que deve ter como consequência crises econômicas, de emprego, sociais e institucionais. Na primeira fase do projeto, a Fiesc vai interagir com as diversas forças da sociedade para buscar sugestões e aperfeiçoar o planejamento e as possíveis ações que podem ser implementadas.

Para elaborar o programa, a entidade fez uma ampla análise de estudos de consultorias internacionais que estão traçando cenários pós-Coronavírus. Depois, comparou com países que tiveram uma situação dessa natureza no passado e criaram planos estruturantes, como o New Deal, dos Estados Unidos.

A partir dessa análise, a Federação fez uma síntese daquilo que se adapta à realidade do Brasil e do estado e estruturou uma proposta que tem o objetivo central de posicionar Santa Catarina como referência em desenvolvimento e crescimento sustentável. Esse objetivo central é apoiado pelos quatro objetivos principais que são: a reindustrialização e o fortalecimento da indústria, a atração de capital, o desenvolvimento da infraestrutura e o pacto social e institucional.





logo_rodape.png

Rua Adolfo Melo, 38 - Sala 902 - Centro | Florianópolis-SC | CEP: 88015-090 |
(48) 3298-7979 | jornalismo@adjorisc.com.br