eleições 2018

Com crescimento do PSL, cai a presença de MDB, PSDB e PSD na Alesc

08 Outubro 2018 17:30:00

Dos atuais 40 deputados, 29 tentaram a reeleição e apenas 18 conseguiram. Apesar da conquista, 14 dos 18 tiveram menos votos do que em 2014

Murici Balbinot

A Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina (Alesc) teve renovação de 55% em 2018. Dos 40 atuais deputados, 29 tentaram reeleição, mas apenas 18 conseguiram alcançar o feito. Onze ficaram pelo caminho. Além disso, quem garantiu a renovação da cadeira parlamentar, mesmo com a reeleição, teve uma redução média de 15% no número de votos.

O crescimento do Partido Social Liberal (PSL) no número de cadeiras na Alesc, que passou de zero deputados para seis, fez murchar a votação de políticos tradicionais do Estado. Os principais atingidos pela renovação foram o Movimento Democrático Brasileiro (MDB), o Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) e o Partido Social Democrático (PSD). Entre os 29 deputados que tentaram reeleição, a queda média do número de votos foi de 17,3%.

A renovação foi tão importante que as cinco principais bancadas atuais registraram redução do número de deputados. O MDB passou de 10 para nove. O PSD de nove para cinco. O PT de cinco para quatro. O PP de quatro para três. E o PSDB de quatro para dois. 

Dos 29 deputados que tentaram reeleição, 23 tiveram menos votos do que em 2014. Milton Hobus (PSD) lidera a perda: ele teve 66.271 votos em 2014 e apenas 36.821 em 2018. Diferença de 29.450 votos. Em seguida está Jean Kuhlmann (PSD), que passou de 56.468 para 28.830 em quatro anos. Diferença de 27.638 votos. Sefarim Venzon (PSDB) é o terceiro. Fez 50.232 em 2014 e 30.085 em 2018. Perda de 20.147 votos. 

Entre os 18 deputados que atingiram a reeleição, apenas quatro aumentaram sua votação. Luciane Carminatti (PT) passou de 45.248 para 61.271 votos, aumento de 16.023 votos. Padre Pedro Baldissera (PT) foi de 33.732 para 35.184, crescimento de 1.452 votos. Neodi Saretta (PT) subiu 1.059 votos. Passou de 37.977 em 2014 para 39.036 em 2018. Luis Fernando Cardoso Vampiro (MDB) fecha a lista. Fez 35.799 antes e 36.747 agora. Diferença positiva de 948 votos.


Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o número de eleitores aumentou 4,19% nesse período. Passou de 4,85 milhões para 5,06 milhões, acréscimo de 212.689 eleitores. A abstenção manteve o padrão: foi de 16,4% em 2014 e de 16,3% em 2018. Mesmo com o ingresso de novos eleitores, a redução na votação desses políticos foi evidente. O aumento de brancos e nulos de 529.620 para 578.396 pode ser uma das respostas, mas a futura formação da bancada da Alesc foi afetada pela influência da candidatura à presidência de Jair Bolsonaro (PSL) e quem mais perdeu foram os partidos tradicionais. 




logo_rodape.png

Rua Adolfo Melo, 38 - Sala 901 - Centro | Florianópolis-SC | CEP: 88015-090 |
(48) 3298-7979 | jornalismo@adjorisc.com.br