poder

Caso dos respiradores tem indícios de participação de Carlos Moisés da Silva

Tribunal de Justiça de SC anunciou nesta segunda-feira (22) que caso será enviado ao Superior Tribunal de Justiça (STJ)

Foto: Murici Balbinot/Arquivo

O juiz Elleston Lissandro Canali, da Vara Criminal da Região Metropolitana de Florianópolis, decidiu nesta segunda-feira (22) repassar o processo e o julgamento no caso da compra dos 200 respiradores da Veigamed para o Superior Tribunal de Justiça (STJ). A decisão ocorre porque o Ministério Público de SC (MPSC) e a Polícia Civil encontraram indícios de participação de Carlos Moisés da Silva no processo. O caso sobe de instância, já que Moisés tem foro privilegiado. 

A decisão acontece por requerimento dos próprios investigadores. Conforme o MPSC e a Polícia Civil, durante análise de evidências no celular de um dos investigados contatou-se que Moisés tinha ciência e possível participação nos fatos. Com a decisão, os autos, seus apensos, bens e objetos eventualmente apreendidos deverão ser encaminhados ao STJ. 

"Apontada a possível participação do Excelentíssimo Senhor Governador do Estado de Santa Catarina na aquisição de equipamentos supostamente criminosa, deve este Juízo abster-se de qualquer valoração dos elementos de prova agora surgidos e mencionados pelas autoridades responsáveis pelas investigações, sob pena de indevida invasão de competência jurisdicional alheia", escreveu o magistrado.



logo_rodape.png

Rua Adolfo Melo, 38 - Sala 902 - Centro | Florianópolis-SC | CEP: 88015-090 |
(48) 3298-7979 | jornalismo@adjorisc.com.br