poder

'Agressores não têm o meu respeito', diz Paulinha

Líder atacou autor do pedido de impeachment durante sessão nesta terça-feira (28)

Foto: Fábio Queiroz/Agência AL

A deputada Ana Paula da Silva, a Paulinha (PDT), líder de governo, subiu o tom em defesa do Executivo durante a sessão ordinária da Assembleia Legislativa de SC (Alesc) nesta terça-feira (28). Em fala enérgica, atacou o autor do pedido de impeachment de Carlos Moisés da Silva, o defensor público Ralf Zimmer Junior.

Ela trouxe à tona o processo de Zimmer na Justiça catarinense no âmbito da Lei Maria da Penha. "Eu não consigo preservar o mínimo de respeito por um homem que chega ao ponto de agredir fisicamente e psicologicamente uma mulher, principalmente na frente dos seus filhos pequenos. Nada justifica atos dessa natureza", afirmou.

"Sim. Estou falando falando do autor do pedido de impeachment do governador e da vice no caso dos procuradores. Os fatos não têm relação entre si, mas tem um conjunto de valores que não podem ser desprezados: credibilidade, carácter e respeito", acrescentou.

O fato foi relembrado nesta segunda-feira (27) em petição do governador Carlos Moisés da Silva à Alesc. No documento, Moisés questiona os direitos políticos de Zimmer

"Eu não creio no caminho da intolerância, da injustiça, e do patrocínio de causas perdidas, como um candidato que se viu derrotado na eleição de deputado, se viu frustrado, e tentou encontrar um objeto de fama", disse a deputada. Em 2018, Zimmer concorreu a deputado federal pelo PSDB e obteve 2.596 votos.

Em rede social, Zimmer disse que goza dos plenos direitos políticos e que o impeachment serve para devolver o poder de voto ao povo. Diz ainda que Moisés "não tem a mínima condição de para ocupar o cargo". 





logo_rodape.png

Rua Adolfo Melo, 38 - Sala 902 - Centro | Florianópolis-SC | CEP: 88015-090 |
(48) 3298-7979 | jornalismo@adjorisc.com.br