Santa Catarina

Professora dá dicas de como driblar a ansiedade na quarentena

'Esse momento nos convida a aceitar nossas limitações, reconhecer nossa fragilidade', afirmou

O período de quarentena e distanciamento social causado pelo Coronavírus pode ocasionar crises de ansiedade e estresse em algumas pessoas. Segundo a professora de psicologia da Estácio São José, Adriane Schein, o primeiro passo é distinguir o medo da angústia. 

"O medo é algo que nos leva a ter um certo cuidado frente a situações de perigo, o que permite que possamos controlar nosso impulso de sair às ruas neste período ou manter nossa rotina dentro das recomendações de higiene e isolamento. A angústia já apresenta outras características. Trata-se de algo interno, que acrescenta novas características ao medo", explicou. 

De acordo com Adriane, uma pessoa que recebeu a informação de uma epidemia, além de saber das consequências do adoecimento, passa a fantasiar, de acordo com imagens ou registros de sua memória pessoal, sobre a doença. "Este pode ser o desencadeador de preconceitos, sintomas e fantasmas que há muito estavam guardados em nossa mente, alguns desde a infância", complementou. 

Durante a quarentena, nem sempre contamos com a presença de um ouvinte atento que possa dar suporte às nossas reflexões e inquietações, porém vários profissionais têm colocado seus serviços à disposição pela internet. Desta maneira as pessoas encontram acolhimento e um canal de comunicação, onde possam falar sobre o que se passa, sem risco de julgamento ou quebra de sigilo.

"Devemos ainda considerar todas as manifestações culturais e artísticas. Assistir um filme, ler um livro ou ouvir uma música, tudo pode contribuir para expressar os conflitos psíquicos, evitando por vezes, o adoecimento emocional", afirmou a professora. 

Segundo ela "esse momento nos convida a aceitar nossas limitações, reconhecer nossa fragilidade e, mesmo assim, descobrir estratégias pessoais para preencher o tempo e o espaço doméstico a partir de todas as transformações pessoais e sociais que este momento está nos impondo", complementou.


Dicas da OMS 

Entre as recomendações feitas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) está o controle no consumo de informações. O ideal é evitar o exagero e, principalmente, não consumir notícias falsas, que possam causar ansiedade ou estresse. Em vez disso, a recomendação é procurar informação para medidas preventivas. 

Outra dica para driblar a ansiedade, e em alguns casos a solidão da quarentena, é apostar no bom uso das tecnologias. Usar a internet para se aproximar dos amigos ou familiares é uma das formas de distrair e manter o convívio social, mesmo que de forma virtual.

 

mais sobre:

Saúde Coronavírus

logo_rodape.png

Rua Adolfo Melo, 38 - Sala 902 - Centro | Florianópolis-SC | CEP: 88015-090 |
(48) 3298-7979 | jornalismo@adjorisc.com.br