brasil

Pacientes precisam respeitar prazo na aplicação de vacinas, diz especialista

Foto: Doia Cercal/Secom

A vacina da gripe começa a ser disponibilizada a população, e é importante ficar atentos dos prazos entre uma vacina e outra. O alerta é feito pela diretora médica do Laboratório Santa Luzia, Myrna Campagnoli.

"Como estamos em plena campanha de imunização do Coronavirus é importante respeitar os prazos entre as vacinas", explica a médica.

A vacina gripe é de vírus inativado. Não precisa de intervalo intervacinas. A vacina tríplice viral, por exemplo, é de vírus atenuado, ou seja, ativo. As vacinas de vírus ativo ou são feitas no mesmo dia, ou 30 dias de intervalo. O prazo para tomar outra vacinas após a da Covid é de 14 dias.

Além da pandemia pelo Covid-19, outro problema de saúde enfrentado todos os anos pela população é a gripe H1N1, provocada pelo vírus Influenza, que é altamente contagioso, especialmente nas épocas mais frias do ano.

O Laboratório recebeu nesta semana as primeiras doses da vacina de gripe. Pacientes que tenham tomado a vacina da Covid-19 devem esperar 15 dias para aplicação de outro imunizante.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), uma pessoa doente com a Covid-19 transmite o vírus, em média, a outras 2,74 pessoas. A taxa de transmissão do influenza H1N1 pode chegar a 1,5, o que é bastante elevado. A campanha da vacinação da gripe é extremamente importante para não aumentar a sobrecarga do sistema de saúde e comprometer ainda mais a disponibilidade de leitos nos hospitais.

"Estamos vivendo o pior cenário da pandemia da Covid-19, além dos altos números de óbitos, os leitos de hospitais estão com alta taxa de ocupação. A vacina da gripe pode evitar as formas graves da infecção pelo vírus influenza reduzindo a necessidade de atendimento hospitalar", explica. 

Diante desse cenário, o Laboratório Santa Luzia, que integra a Dasa, iniciou a campanha de vacinação contra a Influenza. Está disponível a dose quadrivalente da vacina que protege contra quatro tipos de vírus: H1N1, H3N2, influenza do tipo B Victoria e do tipo B Yamagata.

"A vacina da gripe não diminui o risco de contágio pelo novo Coronavírus. Ela protege o paciente contra a infecção causada pelas cepas do vírus Influenza que fazem parte da sua formulação. Essas são as cepas mais comuns neste ano. Outro aspecto positivo é que com menos infectados pelo Influenza, menor a possibilidade de confundir sintomas de gripe como os de infecção por Coronavírus", reforça Myrna Campagnoli.



Quem deve tomar a vacina da gripe

Toda a população, independente de se o e idade, deve tomar a vacina contra o vírus influenza. Os grupos de maior risco devem procurar o quanto antes receber a dose da vacina: 

- Idosos com mais de 60 anos

- Adultos com 55 a 59 anos

- Crianças de seis meses a seis anos incompletos (5 anos, 11 meses e 29 dias)

- Gestantes

- Puérperas que deram à luz nos últimos 45 dias

- Trabalhadores da área de saúde

- Professores de escolas públicas e privadas

- Povos indígenas

- Portadores de doenças crônicas e outras condições clínicas (veja mais abaixo)

- Adolescentes e jovens de 12 a 21 anos que estão sob medidas socioeducativas

- População privada de liberdade

- Funcionários do sistema prisional

- Profissionais de forças de segurança e salvamento (policiais e bombeiros, por exemplo)

A vacina é segura e eficaz no combate aos quadros graves da gripe é, por ser produzida com vírus morto não é capaz de produzir doença mesmo nas pessoas mais vulneráveis.



mais sobre:

Saúde Geral



logo_rodape.png

Rua Adolfo Melo, 38 - Sala 902 - Centro | Florianópolis-SC | CEP: 88015-090 |
(48) 3298-7979 | jornalismo@adjorisc.com.br