Exportações

Países do Mercosul lideram oportunidades para o comércio exterior de SC

Levantamento do governo federal apontou grande potencial junto ao Paraguai e Argentina

Foto: Murici Balbinot/Arquivo

A Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex), do governo federal, identificou em Santa Catarina a potencialidade de aumentar a pauta exportadora, principalmente para países do Mercosul. Segundo o órgão, o Estado tem 1,7 mil oportunidades concretas de ampliar o comércio entre os países que já compram de Santa Catarina. 

Segundo mapeamento da Apex, o Paraguai lidera a lista entre os cinco principais importadores do Estado, com 996 oportunidades. Em seguida está a Argentina, com 475, depois EUA, com 113, México, com 109, e China, com 43. Das oportunidades mapeadas pelo governo federal, a maior parte (562) é classificada como consolidação da relação comercial. Em seguida, estão negócios considerados de recuperação (502), de manutenção (460) e de abertura comercial (212). 

A divulgação da pesquisa acontece justamente quando o mercado internacional apresenta retração, com queda nas exportações e nas bolsas de valores. Apesar disso, a presidente da Câmara de Comércio Exterior da Federação das Indústrias do Estado de SC (Fiesc), Maria Teresa Bustamante, acredita que o cenário pode ser de oportunidade.

"Em relação ao contexto mundial, com o Coronavírus, as empresas catarinenses têm perfeitas condições de continuar investindo para vencer o desafio. É o momento também de buscar oportunidade de vendas para países vizinhos. Não temos dúvida nenhuma de que a internacionalização é sinônimo de competitividade", afirmou. 

Os setores prioritários para receberem investimentos são o automotivo, economia do mar, energia, logística, metalmecânica e metalurgia, químico, saúde, tecnologia da informação, e comunicação e inovação. Além destes, também foram observados atividades com baixo desempenho exportador, mas com potencial para expansão, como artigos têxteis, serralheria e ferramentas, bebidas alcoólicas, e insumos para a saúde. 

O estudo da Apex também traçou um perfil das exportações do Estado. Uma das principais características, segundo o órgão, é a desconcentração entre os setores e os destinos. Por exemplo, o maior produto da pauta, o frango, não chega a 20% do total das exportações, o que representa diversidade. Além disso, as negociações acontecem em faixas de valores abaixo da média nacional, o que traduz mais negócios e mais pulverização. 

Segundo a Apex, o estudo será realizado para todos os estados. O objetivo é gerar dados para facilitar o processo de decisão de políticas públicas. 




logo_rodape.png

Rua Adolfo Melo, 38 - Sala 902 - Centro | Florianópolis-SC | CEP: 88015-090 |
(48) 3298-7979 | jornalismo@adjorisc.com.br