caso dos respiradores

Investigado conversou com atual secretário da Casa Civil

Samuel Rodovalho aparece em imagem nos autos junto a Amandio Júnior

Foto: Reprodução/TVAL

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) criada na Assembleia Legislativa de SC (Alesc) para apurar a compra dos 200 respiradores da Veigamed divulgou nesta terça-feira (23) que o empresário investigado Samuel de Brito Rodovalho teve contato com o atual secretário da Casa Civil, Amandio João da Silva Júnior. 

Os dois aparecem em uma reprodução de uma conversa via aplicativo. Amandio está na direita, ao alto. Samuel, abaixo à esquerda. "Isso é gravíssimo. Não tem como a gente acreditar na informação que o senhor deu agora de que o governador não sabia, de que o governador não participou. O senhor tem uma relação direta com o chefe da Casa Civil", disse o relator Ivan Naatz (PL).

"Essa informação [de que não há envolvimento do governador] não tem nenhum crédito pela relação que ele tem com o secretário da Casa Civil. A CPI não pode dar crédito para essa informação. A imprensa está levando uma informação que não tem crédito", acrescentou Naatz. 

O deputado apresentou requerimento instantâneo para convocação de Amandio para depor na CPI. A intenção é de que ele seja ouvido na próxima terça-feira (30). O requerimento foi aprovado por unanimidade. 


Rodovalho defendeu Amandio. "Eu fui apresentado ao [Amandio] Júnior por um amigo e nós não fechamos nenhum negócio. Ele não era secretário na época quando nós estávamos nos falando. E eu não falei com ele em nenhum momento desde que ele assumiu a Casa Civil", disse.  

"Ele não era secretário ainda. [...] Nossa última conversa foi há dois meses. Na época ele não era nada. Não tinha cargo nenhum quando eu conheci ele", acrescentou Rodovalho. 

Após a citação, o secretário da Casa Civil emitiu uma nota de esclarecimento. Nela, diz que a foto é de 22 de abril e que trata de "um negócio privado, transparente e que acabou não acontecendo. Destaco que neste período eu não exercia qualquer cargo público".

Em outro trecho, o secretário critica os parlamentares: "a CPI busca, mais um a vez, desvirtuar os fatos."



Confira a nota na íntegra:

"A foto que faz referência a mim na CPI se trata de uma reunião via web para apresentação de um projeto de Drive Thru para testes do Covid 19 na cidade de Florianópolis, que também foi apresentada para a ACIF e outras entidades empresariais em outras oportunidades, sem a minha presença. A foto é da data de 22/4/2020. Um negócio privado, transparente e que acabou não acontecendo. Destaco que neste período eu não exercia qualquer cargo público e atuava, como minha vida inteira, na iniciativa privada. Desde 22/4/2020 nunca mais mantive contato com Samuel Rodovalho. Infelizmente a CPI busca, mais um a vez, desvirtuar os fatos."

Amandio João da Silva Júnior.



logo_rodape.png

Rua Adolfo Melo, 38 - Sala 902 - Centro | Florianópolis-SC | CEP: 88015-090 |
(48) 3298-7979 | jornalismo@adjorisc.com.br