sul

Chuvas tem dificultado melhorias nas rodovias estaduais do Extremo Sul

Em entrevista, Superintendente Regional Sul do Deinfra, Gustavo Talfembach, também falou da responsabilidade de fiscalização das obras e prazo de conclusão das revitalizações

Alaor Alexandre / Jornal do Sul

Nesta semana, o superintendente regional Sul do Departamento Estadual de Infraestrutura (Deinfra), Gustavo Talfembach, concedeu entrevista exclusiva ao programa Mampituba Notícias, da Rádio Mampituba 99.5FM, de Sombrio. Na oportunidade, falou sobre as condições das rodovias estaduais, sob a jurisdição do órgão, no Sul do Estado, com destaque para as SCs do Vale do Araranguá.

Na entrevista, informou sobre os trabalhos na Serra do Faxinal (entre Praia Grande e Cambará do Sul), Serra do Rio do Rastro (de Lauro Muller e Bom Jardim da Serra), SC-108 (de Turvo a Meleiro), e na SC-449 (entre Sombrio e Jacinto Machado).

Primeiramente, mostrou-se preocupado com o volume de chuva previsto para o Estado. "Uma vez que o nosso solo está encharcado, este indicativo de precipitações próximas ou superiores aos 100 milímetros, nos preocupa bastante. Tomamos as providências ao nosso alcance, pois sabemos que a situação não está favorável para nossas rodovias que foram muito atingidas pelas chuvas nos últimos dias, principalmente no Sul do Estado.", colocou.

Por conta disso, o superintendente afirmou que tão logo as condições climáticas permitam, serão iniciados os trabalhos de manutenção na SC-447, entre Balneário Arroio do Silva e Araranguá. Também as SCs 108 (Turvo e Meleiro) e 449 (Sombrio e Jacinto Machado), que passam por revitalização, da mesma forma, terão a atenção do Deinfra quanto ao seu estado de conservação, garante ele.

Serra do Faxinal

Na entrevista, Gustavo Talfembach falou ainda da ligação entre Praia Grande e Cambará do Sul (RS), a Serra do Faxinal. Segundo ele, no local, já faz duas semanas que trabalhadores e máquinas estão no trecho depois que o prefeito praiagrandense, Henrique Matos Maciel pediu providências junto ao órgão. "Porém, as condições climáticas não estão nos favorecendo. Mas na medida do possível, estamos aplicando seixo rolado, desentupindo bocas de lobo e valas, fazendo supressão vegetal para permitir um tráfego mais seguro por quem utiliza aquela importante ligação entre os dois estados. Estive no local nesta semana e pude ver as condições precárias que se apresentavam ali.", frisou ao lembrar que em 20 dias os trabalhos serão concluídos.

Serra do Rio do Rastro

Outro caso pontual apontado pelo superintendente foi a manutenção realizada recentemente pelo Departamento na SC-390, a Serra do Rio do Rastro, entre Lauro Muller e Bom Jardim da Serra. Cenas como aquelas veiculadas nas redes sociais, mostrando um verdadeiro rio sobre a pista com as chuvas do começo do ano, mesmo com as intensas precipitações dos últimos dias, não mais foram vistas. "Naquele caso, junto com nossa equipe, comemoramos o resultado do esforço ali empenhado. Os trabalhos como desentupimento de bueiros e caneletas, por exemplo, funcionaram mesmo.", observou.

No que diz respeito aos deslizamentos ocorridos com frequência naquele trecho, Talfembach informa que pelas características da obra, construída em uma área de encosta, íngreme e de solo instável, diz que é quase impossível resolver o problema. "Mesmo assim, estamos estudando aplicar ali recursos que foram repassados em outubro do ano passado ao Deinfra para fixação de determinados pontos. Vai amenizar. Não vai resolver de uma vez por todas a questão. Mas deixaremos esta rodovia a mais segura possível."

Fiscalização das revitalizações

Na oportunidade, pelo apresentador Alaor Alexandre, o superintendente também foi perguntado sobre a responsabilidade da fiscalização da qualidade e andamento das obras de revitalização das rodovias estaduais na região, como na SC-108, entre Turvo e Meleiro e na SC-449, de Sombrio a Jacinto Machado. Segundo ele, este papel depende do órgão que acaba sendo designado para fazer esta obra. "No caso destas duas rodovias, é a Secretaria de Infraestrutura do Estado. Então eles designam os engenheiros para fazer a fiscalização em cada local. São eles que analisam se os serviços estão sendo prestados de maneira correta, como, por exemplo, a espessura da capa asfáltica aplicada."

Por fim, Talfembach declarou que dentro do prazo estabelecido em contrato, ou seja, em até dois meses, as duas revitalizações que tem a empresa Setep como executora, serão concluídas.






logo_rodape.png

Rua Adolfo Melo, 38 - Sala 902 - Centro | Florianópolis-SC | CEP: 88015-090 |
(48) 3298-7979 | jornalismo@adjorisc.com.br