Aurora atualiza exigências de qualidade do mercado internacional de suínos

16 Março 2017 18:00:00

A Cooperativa Central Aurora Alimentos exportou em 2016 o equivalente a R$ 763 milhões em suínos, 37% do faturamento líquido de R$ 2,02 bilhões de reais. O abate de suas sete plantas industriais atingiu 4 milhões 546 mil cabeças de suínos, um incremento de 1,6% sobre o ano anterior. Com o objetivo de melhorar a eficiência da cadeia produtiva de suínos, por meio do programa Suíno Ideal, a Aurora promoveu nesta semana o Seminário de Suinocultura. Participaram do evento técnicos de campo das 13 cooperativas filiadas. 

O presidente da Aurora Alimentos Mário Lanznaster destacou que os consumidores são os que ditam as regras de mercado, estabelecem as exigências e padrões desejados. "Para garantir a sobrevivência no competitivo mercado internacional temos que atender os quesitos de qualidade estabelecidos atingindo bons desempenhos zootécnicos com baixos custos de produção".

O Suíno Ideal é um processo de melhoria contínua voltado para as demandas do mercado, buscando inovações tecnológicas que agreguem valor a cadeia produtiva. Isso é possível através da implantação de padrões de manejo e assistência técnica. "A aplicação destes procedimentos nas rotinas dos técnicos garante as melhorias que o mercado exige. Constantemente investimos em atualizações para aumentar o índice de qualidade", explicou o assessor de suinocultura da Aurora Alimentos, Sandro Treméa.

Entre os potenciais de ganho que o programa Suíno Ideal proporciona para os produtores rurais estão a queda na mortalidade no campo e no transporte, uniformização das carcaças, redução de doenças e a conversão alimentar. "Os técnicos são os responsáveis por levar todas as exigências e atualizações tecnológicas para que os produtores rurais se enquadrem dentro dos padrões internacionais. Temos que ter eficiência no campo para que a qualidade do produto final seja cada vez melhor", complementou o gerente de suínos da Aurora Alimentos, Valdir Schumacher.

Durante o Seminário, o gerente geral de exportação da Aurora Alimentos Dilvo Casagranda, ministrou a palestra "Mercado interno e externo no cenário atual e as exigências dos mercados no qual exportamos". O supervisor técnico de suínos da empresa Boehringer Ingelheim do Brasil e médico veterinário Ricardo Tesche Lippke explanou sobre "Medicamentos, medicação, carência e o uso racional".

Os principais produtos de suínos exportados são pernil, paleta, lombo, carré, barriga, cartilagem e costela, tendo como principais Hong Kong, Rússia, Angola, Américas, Cingapura, Eusária, China e Estados Unidos.

Em 2016, a produção in natura de carnes suínas cresceu 2,9% para 389,9 mil toneladas e a industrialização permaneceu estável (+0,6%) em 307,4 mil toneladas. A produção integrada do sistema Aurora e suas 13 cooperativas filiadas envolve, na cadeia de suínos, 3.444 produtores cooperados, 199 mil matrizes e um plantel permanente de 1 milhão e 800 mil animais no campo.

logo_rodape.png

Rua Adolfo Melo, 38 - Sala 901 - Centro | Florianópolis-SC | CEP: 88015-090 |
(48) 3298-7979 | jornalismo@adjorisc.com.br