CORONAVÍRUS

Ação pública pede que prefeitura de Chapecó adote medidas de restrição

Fechamento do comércio e serviços públicos não essenciais estão entre as medidas solicitadas

Foto: MB Comunicação/Divulgação

Uma ação civil pública está solicitando que a prefeitura de Chapecó tome providências de prevenção à Covid-19 no município. Entre as medidas estão o fechamento do comércio e de serviços públicos não essenciais por 14 dias, além do estabelecimento de protocolos de higiene para os serviços que continuarem funcionando. 

Na ação, também foram solicitadas medidas administrativas para a garantia da infraestrutura de saúde, como o aumento da quantidade de leitos de UTI na rede pública. Além disso também foi pedido a proibição da flexibilização do distanciamento social sem os devidos pareceres médicos, afirmando que o sistema de saúde pública é suficiente para atendimento dos pacientes.

A ação, protocolada pela Defensoria Pública do Estado de Santa Catarina (DPE-SC) e pelo Grupo de Apoio e Prevenção à Aids (GAPA), foi desmembrada e corre em dois processos: um na Justiça Federal contra a União, e outro na Justiça Estadual, contra o município.

Segundo dados divulgados pelo governo do Estado nesta segunda-feira (18), Chapecó é a cidade com mais casos confirmados da doença em Santa Catarina, com 588. Os casos no município aumentaram mais de nove vezes desde o início do mês.

O crescimento exponencial da doença tem preocupado as autoridades municipais. Nesta segunda-feira, o prefeito de Chapecó, Luciano Buligon, reconheceu a gravidade da situação, e afirmou que medidas mais restritivas podem ser tomadas caso o município chegue a 50% na taxa de ocupação de leitos de UTI reservados à doença. 

"Precisamos, acima de tudo, que todos todos os chapecoenses, todos oestinos, todos os catarinenses, entendam que o combate da Covid é um combate de todos, e a sensibilização de todos é a única vacina que nós temos", destacou. 


Confira as medidas de restrição solicitadas na ação pública:

- Fechamento do comércio não essencial por 14 dias;
- Fechamento dos serviços públicos estaduais e municipais não essenciais por 14 dias;
- Aferição de temperatura na entrada dos estabelecimentos que permanecem em funcionamento; 
- Disponibilização de álcool a 70% ou solução antisséptica similar para higienização de mãos nos estabelecimentos que permanecem em funcionamento;
- Nos estabelecimentos que permanecem em funcionamento, intensificar a higienização de utensílios, superfícies e equipamentos com álcool 70%, ou preparações antissépticas de efeito similar nos utensílios, equipamentos, maçanetas, mesas, corrimãos, interruptores, sanitários, elevadores, entre outros, respeitando a característica do material quanto à escolha do produto.


logo_rodape.png

Rua Adolfo Melo, 38 - Sala 902 - Centro | Florianópolis-SC | CEP: 88015-090 |
(48) 3298-7979 | jornalismo@adjorisc.com.br