educação

Governo de SC muda regramento para ocupação de salas de aula

Foto: Murici Balbinot
Secretaria apresentou informações em ato em escola de Florianópolis

A Secretaria de Estado da Educação apresentou na manhã desta quinta-feira (11) o regramento para o retorno das aulas da rede estadual para o ano letivo de 2021, que inicia na próxima quinta-feira (18). A novidade é a revogação da limitação de 50% de ocupação em regiões de risco gravíssimo (vermelho). Um novo decreto será publicado reformulando a ocupação total. 

A pasta afirma que baseou a mudança na experiência da volta as aulas das redes municipais e particulares. O entendimento é de que o distanciamento entre os alunos é mais importante do que a ocupação em si. 

Cada escola terá a responsabilidade de adaptar o espaço para cumprir o distanciamento de 1,5 metro entre os estudantes. Caso consiga atender a regra, poderá atuar com até 100% mesmo em nível gravíssimo. Segundo o chefe da pasta, Luiz Fernando Vampiro, quase a integralidade da rede estadual não vai funcionar com 100%, o que, na prática, vai garantir a segurança contra a Covid. Isso porque as salas não terão área suficiente para cumprir o distanciamento. 

A expectativa é de que a medida, que foi tomada em conjunto com a Secretaria da Saúde e foi um pedido dos municípios, atenda mais ao público de ensino infantil, onde é mais fácil cumprir a regra de 1,5 metro.

"Aquelas que estiverem aptas, poderão receber os alunos presencialmente. Aquelas que não estão, esperam. [...] Não será o retorno a qualquer preço e a qualquer custo. A segurança vem em primeiro lugar", afirmou o secretário-adjunto da Secretaria, Vitor Balthazar. "A escola tem autonomia desde que respeitado o regramento", acrescentou. 


A volta

A pasta trabalha com três modelos de trabalho. O primeiro deles, considerado ideal, é quando a escola está pronta e adaptada para receber presencialmente os estudantes - com aferição de temperatura e álcool em gel na porta.

O segundo modelo definido é o de unidades escolares que receberão parte dos alunos presencialmente, e parte remota. Neste caso, a Secretaria enviará um kit alimentação para aqueles que preferirem permanecer em casa. A pasta também prevê que os pais assinem um termo de resposabilidade liberando os filhos da necessidade de presença física por 14 dias. 

O terceiro modelo é de escolas que não conseguiram adaptar a estrutura para receber os alunos, por exemplo, por danos físicos por vendaval e ciclone. Neste caso, a retomada das aulas será 100% remota. Não há informação de quantas escolas estão nesta situação.

A Secretaria também vai liberar internet patrocinada para estudantes e professores que permanecerem em casa. O modelo será liberado via aplicativo, que deverá ser baixado pelos usuários. O contrato foi assinado com as quatro operadoras de internet móvel.

"A educação ainda está trabalhando com a preparação do material didático. Acreditamos que em 14 dias ou 20 dias vamos ver se o modelo precisa de ajuste", disse o chefe da pasta, Luiz Fernando Vampiro. 

Além disso, a pasta vai disponibilizar um número de telefone para denúncias de unidades que não estão cumprindo as regras. A linha ficará disponível entre 7h e 19h. O número é 0800 644 7890.




logo_rodape.png

Rua Adolfo Melo, 38 - Sala 902 - Centro | Florianópolis-SC | CEP: 88015-090 |
(48) 3298-7979 | jornalismo@adjorisc.com.br