g. florianópolis

21% dos trabalhadores da Grande Florianópolis não têm ensino básico

Movimento Santa Catarina Pela Educação deve estudar medidas de combate à evasão escolar

Foto: Divulgação
Segmento de agricultura tem o pior índice de escolaridade

Cerca de 100 mil trabalhadores não terminaram o ensino básico nas 19 cidades da Grande Florianópolis, segundo dados recentes do Ministério do Trabalho. Isso corresponde a 21% do total de trabalhadores na região. 

Para mudar essa situação, o Movimento Santa Catarina Pela Educação deve estudar medidas de combate à evasão escolar. O ponto de partida, segundo o vice-presidente da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc) para a região sudeste, Tito Alfredo Schmitt, é analisar a maneira como os profissionais com escolaridade incompleta estão atuando.

A partir daí, é preciso buscar formas de atraí-los à escola para qualificar o mercado de trabalho. "É preciso aproximar o ensino desses profissionais não apenas indo até eles, mas relacionando os estudos com as profissões que ocupam e motivando essas pessoas a estudarem", disse. 

Segundo a interlocutora da regional sudeste, Jussara Castilhos, é preciso mostrar para esses profissionais a importância de terminar os estudos. "Temos que fazer com que esses trabalhadores entendam que o estudo abre portas para melhores oportunidades".

SetorTotal de trabalhadoresTrabalhadores com educação básica incompleta% Trabalhadores com educação básica completa%
Agricultura1.0886075648144
Transportes16.0485.3173310.73167
Indústria67.31322.4453344.86867
Comércio88.02719.9692368.05877
Serviços303.88250.49817253.38483
Total476.35898.83621377.52279



mais sobre:

Educação Fiesc




logo_rodape.png

Rua Adolfo Melo, 38 - Sala 902 - Centro | Florianópolis-SC | CEP: 88015-090 |
(48) 3298-7979 | jornalismo@adjorisc.com.br