retomada

Varejo catarinense registra alta de 9,3% em fevereiro

13 Abril 2018 14:51:00

Resultado positivo ficou acima da média nacional, de 1,3%, segundo IBGE. Alta foi puxada pelos setores de automóveis, supermercados, artigos farmacêuticos e material de construção

Segundo a Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), divulgada nesta quinta-feira (12) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o comércio varejista restrito de Santa Catarina teve alta de 9,3% no volume de vendas e de 9,7% na receita no mês de fevereiro na comparação com o mesmo período do ano anterior. Em relação a janeiro houve queda de 0,3% no volume e de 0,2% na receita.

No acumulado de 12 meses, as vendas no varejo cresceram 14,2% em volume- novamente a maior variação entre todos os estados- e 13% na receita. No comércio varejista ampliado, que inclui material de construção e veículos, o Estado registrou variação positiva de 15,6%.

"Santa Catarina deve manter a trajetória de recuperação e disseminar a retomada para todos os segmentos do varejo. A expectativa é recuperar volumes absolutos de vendas próximos ao que tínhamos no período pré-crise, antes de 2014", diz o presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina (Fecomércio-SC), Bruno Breithaupt.

Para a Federação, o bom desempenho do Estado é reflexo do mercado interno consolidado, com menor informalidade, aumento da disponibilidade de crédito, queda nos preços dos alimentos e a retomada do emprego e da renda.

A maior alta foi no segmento de veículos, motocicletas, autopeças (24,4%), seguido pelos hipermercados, supermercados (12,2%); artigos farmacêuticos (9%) e material de construção (8%). Por outro lado, livros, jornais, revistas e papelaria (-8,8%) e equipamentos e material de escritório (-10,5%) apresentaram queda.

No acumulado de 12 meses, SC cresceu 14,2% em volume- novamente a maior variação entre todos os estados. Foto: Murici Balbinot

Resultado nacional

Os resultados são bem mais tímidos no varejo nacional, mas o setor já mostra reação. O varejo restrito registrou alta de 1,3% no volume de vendas e de 1,6% na receita em relação ao mesmo mês do ano passado. No acumulado de 12 meses, o volume de vendas fechou com alta de 2,8% e a receita nominal atingiu 2,4%. No geral, o varejo nacional acumulou alta de 2,3% no ano.

No comércio varejista ampliado, que inclui as atividades de veículos, motocicletas, autopeças e de material de construção, o volume de vendas variou 0,1% em relação a janeiro e contribuiu para que a média móvel trimestral também ficasse próxima à estabilidade (-0,1%) no trimestre encerrado em fevereiro. Frente a fevereiro de 2017, houve alta de 5,2%, décima taxa positiva consecutiva, acumulando ganho de 5,9% no ano. O acumulado nos últimos doze meses (5,4%) foi o maior desde julho de 2013 (5,8%).

Em relação a fevereiro de 2017, o comércio varejista avançou em 17 das 27 unidades da federação, com destaque para Tocantins (19,7%), Espírito Santo (16,9%) e Roraima (12%). Por outro lado, Goiás (-9,7%) e Distrito Federal (-3,0%) tiveram as quedas mais intensas. Além de Santa Catarina (9,33%), destacaram-se Rio Grande do Sul (10%) e Espírito Santo (16,9%).






logo_rodape.png

Rua Adolfo Melo, 38 - Sala 901 - Centro | Florianópolis-SC | CEP: 88015-090 |
(48) 3298-7979 | jornalismo@adjorisc.com.br