Agro

Soja volta a subir e atinge maior preço de 2019

Saca de 60 kg do grão fechou outubro a R$ 77,70. Dólar alto e situação do mercado internacional estão afetando o preço

Foto: Felipe Götz/Jornal O Celeiro
Plantação de soja em Campos Novos

O preço da soja em Santa Catarina subiu pelo quarto mês consecutivo e atingiu o maior valor do ano. A saca de 60 Kg do grão finalizou o mês de outubro custando R$ 77,70, aumento de 2,1% em relação a setembro. Em maio o grão chegou a custar R$ 67,86, menor valor desde fevereiro de 2018.

Segundo técnicos da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri), entre os fatores que influenciam o aumento do preço da soja, estão a diminuição do volume da safra nos Estados Unidos, que reduz a oferta mundial do grão. A alta só não foi maior devido a ocorrência de peste suína na China, que diminuiu a quantidade de exportações brasileiras. Os dois fatores acabam balanceando a oferta e demanda da soja brasileira no mercado internacional.

Mesmo com a alta, o valor do grão caiu em comparação ao mesmo período do ano passado, quando estava custando R$ 78,17. O dólar alto também influenciou os preços em outubro. Além de valorizar o grão, também elevou os custos com insumos, principalmente de fertilizantes.

Safra 2019/2020

A produção de soja em Santa Catarina deve subir em relação ao ano passado. A área de plantio do grão cresceu 2,68% e a quantidade produzida deve ter alta de 5,32%, com aumento de produtividade (produção por hectare) previsto de 2,57%. Segundo a Epagri, a estimativa é de que a safra catarinense seja de 2,3 milhões de toneladas em 688 mil hectares.

Xanxerê é a microrregião que possui a maior área plantada no Estado, com 150 mil hectares. Em seguida vem Canoinhas, com 135 mil, Curitibanos (109 mil) e Chapecó (94 mil).

O cultivo da soja no Sul do Estado avançou em áreas que anteriormente eram ocupadas por feijão, milho e arroz. A microrregião de Criciúma aumentou a área plantada do grão de 1,9 mil, para 4,2 mil hectares. Já as microrregiões Araranguá e Tubarão voltaram a registrar o cultivo de soja nesta safra.

Neste ano, a expectativa é que o Brasil se torne o maior produtor de soja do mundo. O país teve um crescimento de 2,3% na área plantada em relação ao ciclo passado, o que deve resultar numa produção de cerca de 120,9 milhões de toneladas. Já os Estados Unidos, atualmente primeiros do ranking, diminuíram sua área plantada em 19% neste ciclo e possuem estimativa de colheita de 96,6 milhões de toneladas.









logo_rodape.png

Rua Adolfo Melo, 38 - Sala 902 - Centro | Florianópolis-SC | CEP: 88015-090 |
(48) 3298-7979 | jornalismo@adjorisc.com.br