brasil

SC faz apelo ao Planalto para solucionar problema do milho

Para otimizar o processo, o grupo solicitou atenção à infraestrutura do Oeste

Foto: Divulgação

Aproveitando a presença do vice-presidente da República, general Hamilton Mourão, em Santa Catarina na semana passada, equipe da Federação das Indústrias (Fiesc) e o deputado Marcos Vieira (PSDB) pediram apoio do Planalto ao andamento da Rota do Milho. A ideia é contar com ajuda do governo federal para tirar o projeto do papel e baratear a importação do grão.

"[Pedimos] um engajamento do vice-presidente para convencer o governo argentino a autorizar SC e o Paraguai a utilizarem as rodovias argentinas para trazer milho dos departamentos de Itapúa e Alto Paraná, no Paraguai", disse Vieira.  

O setor de agronegócio calcula que, com a nova rota, o custo do frete possa cair cerca de 65%. Hoje, em média, o transporte de uma saca de milho vinda de Goiás custa R$ 20. Com origem no Paraguai e cumprindo um novo trajeto, o valor pode cair para R$ 7. A projeção aponta ainda que, com a utilização da aduana de Dionísio Cerqueira, a distância percorrida pelas carretas passaria de até 2 mil km para 500 km.

Para otimizar o processo, o grupo solicitou atenção à infraestrutura do Oeste. "Temos que resolver a questão da BR-163, no trecho de Dionísio Cerqueira a São Miguel do Oeste, e da BR-282, de São Miguel a Chapecó. Se assim fizer, vamos iniciar um novo processo de desenvolvimento na agroindústria", afirmou.



logo_rodape.png

Rua Adolfo Melo, 38 - Sala 902 - Centro | Florianópolis-SC | CEP: 88015-090 |
(48) 3298-7979 | jornalismo@adjorisc.com.br