fim da colheita

Preço da soja reage após meses seguidos de queda

Em abril, grão chegou ao menor valor dos últimos 12 meses: R$ 68,64 a saca de 60kg. Estado pode se beneficiar da disputa comercial entre China e EUA

Foto: Felipe Götz/Jornal O Celeiro

No final de maio, o preço da soja reagiu em Santa Catarina após quedas consecutivas desde o ano passado. Em abril, o grão chegou ao menor valor dos 12 meses anteriores, R$ 68,64 a saca de 60kg. Nos últimos 10 dias, após leve recuperação, os produtores comercializaram o produto a, em média, R$ 70 a saca.

Segundo o engenheiro agrônomo do Cepa/Epagri, Haroldo Tavares Elias, dois motivos provocaram a queda. O primeiro é a conclusão da colheita na lavoura, que aumenta a oferta interna. O segundo é a manutenção dos estoques mundiais, com perspectiva de produção acima do esperado na Argentina. 

"Os preços vinham em queda desde o início do ano, mas teve uma reversão nos últimos 10 dias em função do atraso do plantio nos Estados Unidos. Por causa do vai-e-vem das commodities, os preços estão muito irregulares", disse.

Além desse, outros fatores influenciaram na alta. Um deles, diz, é o câmbio favorável à exportação, com o dólar variando próximo a R$ 4. Outro é a guerra comercial entre China e Estados Unidos. "O Trump recrudesceu as taxas e a China retornou a comprar mais do Brasil e aumentou o preço nos portos", afirma. 

Segundo Elias, os produtores que comercializaram o grão, em boa parte, tinham contratos de compra anteriores. A tendência para quem colheu agora é aguardar um preço melhor. 





logo_rodape.png

Rua Adolfo Melo, 38 - Sala 902 - Centro | Florianópolis-SC | CEP: 88015-090 |
(48) 3298-7979 | jornalismo@adjorisc.com.br