meio-oeste

Plantas da BRF em SC são referência em bem-estar animal

Foto: Divulgação/BRF

Uma das maiores companhias de alimentos do mundo, a BRF mantém um compromisso com as boas práticas de bem-estar animal. Exemplos desse cuidado são as plantas da companhia em Campos Novos e Concórdia, no Meio-Oeste, onde o abate dos suínos segue premissas estabelecidas pela North America Meat Institute (NAMI), importante organização dos Estados Unidos.

Tanto que ambas as unidades são certificadas desde 2019 em bem-estar animal através de auditores PAACO (Professional Animal Auditor Certification Organization), que compreende uma série de requisitos de padrões de transporte e abate humanitário de suínos. Neste mês, as duas unidades voltaram a ser auditadas e conquistaram a recertificação. 

"A BRF está inserida em uma cadeia de produção que começa no campo com a criação dos animais, englobando também o transporte até o abate. Portanto, o bem-estar animal é naturalmente uma das grandes causas da Companhia. Essa certificação internacional reforçou a robustez dos nossos processos e demonstra que acertamos nas escolhas que fizemos e, também, na forma como conduzimos o tema, com seriedade", ressalta Mariana Modesto, gerente executiva de Sustentabilidade da BRF.

Entre as exigências para obter tais certificações, destacam-se as instalações e equipamentos que promovam conforto aos animais, o acompanhamento de indicadores de bem-estar animal e sua evolução, bem como o treinamento e a capacitação dos funcionários no manejo rotineiro e condução dos animais. "A prática do bem-estar animal é uma relação muito estreita entre estrutura e atitude", afirma o diretor de Agropecuária da BRF, Guilherme Brandt.


No campo

Aos 31 anos, o produtor integrado da BRF do interior de Itá, Adriano Vortmann, faz parte de uma família que começou a criação de leitões em 1975, sob a liderança do pai dele. Desde 2010, Adriano e o pai administram uma unidade produtora de leitões desmamados, que conta com oito trabalhadores. A granja possui 1,5 mil matrizes produtivas.

"A cada 21 dias a granja entrega cerca de 2,5 mil leitões que são destinados a outros criadores", destaca, ao ressaltar a importância do programa bem-estar e as suas vantagens. "O programa é muito importante. Hoje, na granja, tem tudo o que o animal precisa, desde a parte da climatização e até brinquedos, que são cordas com correntes".

Adriano Vortmann explica que no verão a temperatura externa gira em torno de 40°C, enquanto na área climatizada dos suínos é mantida em até 23°C. "As baias são grandes, e os animais podem caminhar e estar mais à vontade. É só você olhar dentro dos nossos galpões e verificar que os suínos se sentem bem, e isso, com certeza, vai trazer mais produtividade", observa.

mais sobre:

Geral Economia BRF


logo_rodape.png

Rua Adolfo Melo, 38 - Sala 902 - Centro | Florianópolis-SC | CEP: 88015-090 |
(48) 3298-7979 | jornalismo@adjorisc.com.br