mercado

Para lojistas, liberação do FGTS pode reduzir inadimplência

Cerca de 500 mil consumidores devem fazer os saques no Estado. Mais da metade deles deve menos de R$ 500

Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

Cerca de 500 mil catarinenses devem sacar parte do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e do Fundo PIS-Pasep a partir de setembro. A expectativa dos lojistas é de que boa parte dos R$ 2,2 bilhões que estas operações movimentarão no Estado será usada para pagar dívidas. 

A Federação das CDLs de Santa Catarina (FCDL/SC) estima que 72,6% dos inadimplentes têm contas menores do que R$ 500. Como também ocorre em datas como o Natal, quando há um ganho extra devido ao 13º salário, a tendência é que os beneficiários paguem suas dívidas. "É cíclico, as pessoas quitam as dívidas para poder voltar a consumir", destaca João Carlos Dela Roca, assessor institucional da FCDL/SC. Ainda assim, o dirigente recomenda cautela, por exemplo, com novos gastos no cartão.

"Sempre aconselhamos que os consumidores assumam apenas dívidas que caibam no orçamento e que evitem juros altos como o do cartão de crédito", complementa. Segundo ele, os setores que mais faturam, nessas ocasiões, são o do vestuário e o de calçados.

Os saques do FGTS e do Fundo PIS-Pasep começam a ser sacados em 13 de setembro aos que tiverem conta poupança na Caixa Econômica Federal (CEF) e no dia 18 de outubro aos não correntistas. Outro impulso nas vendas e na diminuição da inadimplência será o pagamento da primeira parcela do 13º salário a aposentados e pensionistas do INSS, ainda a partir deste mês.





logo_rodape.png

Rua Adolfo Melo, 38 - Sala 901 - Centro | Florianópolis-SC | CEP: 88015-090 |
(48) 3298-7979 | jornalismo@adjorisc.com.br