Em baixa

Otimismo cai entre micro e pequenos empresários de SC

Setor registra aumento de vendas e investimento acima do esperado, mas alta nos custos prejudica desempenho

Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

Segundo uma pesquisa realizada pelo Sebrae, 53,8% das micro e pequenas empresas de Santa Catarina registraram aumento nas vendas no último trimestre de 2019. Para 78% dos entrevistados, o bom resultado se deve à sazonalidade, enquanto uma pequena parcela (7,1%) atribui a melhora ao aquecimento da economia.

"O último trimestre do ano tradicionalmente possui bons resultados por causa das datas comemorativas como Dia das Crianças, Black Friday e Natal, porém em 2019 as vendas foram ainda mais positivas que nos anos anteriores. Isso pode indicar uma leve melhora na economia", ressaltou o presidente da Federação das Associações de Micro e Pequenas Empresas e dos Empreendedores Individuais (Fampesc), Alcides Andrade. 

Se o bom resultado nas vendas já era previsto, os investimentos ficaram acima do esperado: 30,8% dos pequenos empresários investiram em seus negócios no último trimestre, mais do que o dobro (14,2%) em relação à expectativa para o período registrada na pesquisa anterior.   

Os principais investimentos realizados foram a capacitação de profissionais (21,6%), a compra de maquinário (15,7%), reformas (13,7%) e aumento de estoque (10,5%).  

Apesar dos empresários estarem dispostos a fazerem melhorias em seus negócios, apenas 2,6% diz ter investido na contratação de funcionários. A expectativa é que esse número chegasse a 4,9%. Para os próximos três meses é esperado um aumento na geração de empregos por pequenos negócios de 4,4%, aumento de 3.5 pontos percentuais em comparação ao mesmo período do ano passado (0,9%).   


Situação da economia 

A expectativa pelo crescimento econômico do país também caiu em comparação ao trimestre anterior. Entre outubro e dezembro, 42,9% acreditavam numa melhora na economia brasileira, enquanto atualmente o percentual está em 39,4%. A queda é ainda maior na comparação com o mesmo período do ano passado. Entre janeiro e março de 2019, 70,5% acreditavam que a situação econômica do país iria melhorar.

"Após um ano eleitoral é comum que a expectativa esteja em alta, porém a recuperação da economia tem sido mais lenta e inconstante do que o previsto. No entanto, para 2020 e os próximos anos, temos confiança em uma estabilização econômica, impulsionada por segmentos que já possuem bons resultados como agronegócio e construção civil, que são setores que beneficiam pequenos e grandes negócios", explicou Andrade.



Expectativa pela economia do país:






logo_rodape.png

Rua Adolfo Melo, 38 - Sala 902 - Centro | Florianópolis-SC | CEP: 88015-090 |
(48) 3298-7979 | jornalismo@adjorisc.com.br