entrevista

'O ano foi bom, mas poderia ter sido melhor', diz Ivan Tauffer

Presidente da Federação das Câmaras dos Dirigentes Lojistas de SC (FCDL/SC) aposta alto na reforma tributária

Foto: Divulgação

ADI/Adjori - O resultado do comércio varejista em 2019 em Santa Catarina de janeiro a novembro é de mais 8%. O setor sente uma melhora? 

Ivan Tauffer - Houve aumento sim no varejo em Santa Catarina e nós temos aqui medido pelo banco de dados do SPC/SC o crediário é o nosso índice mais acentuado. Nós registramos 6,51% de aumento deste item. Como o empresário vê isso? O empresário, por ser Santa Catarina, entendia que deveria ser um pouco mais alto. Mas, ele não foi um ano todo ruim. Se comparado com outros estados, Santa Catarina está na frente como a exemplo na geração de emprego. Nós somos um pouquinho diferentes e esses números que a gente está colhendo deixa o empresário mais otimista. Ele começa a acreditar que vai mudar a economia, vai mudar para 2020. Essa é a expectativa que a gente tem, e do varejo também. O empresário está nos dizendo que ele acredita que o ano de 2020 vai ser melhor do que 2019. E nós fizemos um levantamento para o Natal, 84,1% respondeu dizendo que o ano de 2020 vai ser melhor do que 2019. Aquele 6,51% poderia ser maior, mas foi um ano em que houve crescimento. A gente vê como um ano bom, que poderia ser melhor. Mas aí tem outras coisas que nos afetam, como por exemplo, as reformas. A da Previdência acabou saindo de uma forma não 100% como deveria, mas saiu. Qual a nossa expectativa? Que a reforma tributária aconteça e aí sim o empresário vê que vai girar a economia. A gente aposta muito na reforma tributária. Ela acontecendo vem melhorar o setor econômico e dá aquela esperança que o empresário precisa sobre essa alta carga tributária.

ADI/Adjori - O senhor disse que o ano não foi de todo ruim. O que foi positivo? O comércio ou as reformas?

Tauffer - Mais por parte do comércio, do varejo. Claro que a gente depende das reformas. Com elas, o efeito é outra na economia. Nós entendemos que as decisões do governo federal ou estadual passam pela economia. Não tem como desvincular isso. Essa melhora é do varejo.

ADI/Adjori - Sobre a reforma tributária, existe um temor dela prejudicar o Estado pela tributação no destino. Qual delas agrada mais?

Tauffer - A que mais agrada Santa Catarina é partir para uma espécie de IVA [Imposto sobre Valor Agregado], ou de um imposto único, com percentuais de outros impostos que a União precisa. Esse seria o ideal. E a gente vê que está um pouco longe de acontecer. Quando se fala de um imposto ser no final, desde que seja um imposto justo, não é prejudicial. Ele tem que um imposto que dê condições para o setor produtivo e para quem paga o imposto, que é o consumidor. Hoje, a gente tem uma distorção de impostos entre estados, que é uma guerra fiscal. Isso acaba prejudicando os estados. Nós entendemos que o imposto tem que ser mais justo. Hoje, poucos pagam muito e muitos não pagam nada. 'Mas vocês estão sonegando? Não'. É diferente nós não pagarmos de sonegarmos. Nós não conseguimos mais pagar. Hoje nós temos alguns setores, por exemplo o microempresário, que não consegue mais pagar o imposto, essa alta carga que a gente tem, que chega a 45%. Precisa ter um imposto mais justo e que toda a cadeia contribua. Nós defendemos o imposto e somos contra a sonegação. Mas tem outra coisa. É muito burocrático e de difícil entendimento a tributação. É muita divergência, é difícil de a gente entender a forma desse imposto. Às vezes até a própria Fazenda está lá tentando melhorar alguma coisa e acaba causando dúvida para o empresário.

ADI/Adjori - Estamos tendo reformas há três anos. O que garante que 2020 pode ser melhor?

Tauffer - Alguns números e indicadores que a gente está colhendo nesses anos, 2017, 2018 e 2019 eles indicam isso para a gente. O PIB, por exemplo, se fala muito em 1,5 ou 2%. Isso já é um indicador de que está havendo uma melhora. Por exemplo, se nós olharmos no varejo puro, as datas comemorativas do ano 2019 nós tivemos Páscoa, Dia das Mães, Dia dos Namorados, todos os números são positivos. Todos sinalizaram crescimento. Isso está dizendo para nós que vamos ter um ano melhor. Essas pequenas reformas que aconteceram. Isso dá esse otimismo de a gente ter um 2020 melhor. Essas projeções fazem com que a gente acredite mais. E assim também o consumidor. Ele voltou a consumir normalmente e voltou a ter confiança. Isso forma uma cadeia. Outra coisa que ajudou o varejo esse ano foi a injeção do FGTS. Isso não deixou o ano de 2019 ser um pouquinho mais retraído como 2018. É uma soma de coisas que vem projetando um ano de 2020 melhor. Em Santa Catarina, somos um Estado pulverizado. Muito diversificado. A maioria é de médio e pequenos negócios. Isso pulveriza mais o emprego e a renda.

ADI/Adjori - Qual é a avaliação sobre o contrato de trabalho verde e amarelo?

Tauffer - É bom o que o governo quer trazer e isso vem a facilitar. Vai desburocratizar o primeiro emprego, a entrada desse jovem no mercado de trabalho. Se continuar essa proposta e não mudar muito, a gente acha uma boa solução. Quanto menos burocrático, melhor é para o empresário. Fácil entendimento, é disso que a gente precisa.

ADI/Adjori - Além das reformas federais, algum efeito estadual influenciou o setor?

Tauffer - A gente vê que o setor produtivo é atingido por algumas medidas do governo como esse incentivos do ICMS que ainda são pauta na Alesc. São setores relevantes, como a carne. O governo não teve um pouco de cautela em mexer nessas questões como em outros setores. Isso trouxe um certo prejuízo e causou um pouco de desconforto para os empresários. São medidas que foram pouco discutidas com o setor produtivo. Faltou diálogo por parte do governo. Mudar de forma drástica não foi o melhor caminho. Se o governo do Estado falasse mais com o setor produtivo, que onde tem as informações, as coisas poderiam evoluir melhor. Quando a Fazenda altera alíquotas e coloca um certo protecionismo, eu acho interessante proteger o seu Estado. Mas nem sempre a gente consegue que isso seja a melhor coisa. Quando se mexe para favorecer a indústria, por exemplo, e não tem o mesmo benefício para o varejo, não basta. O que o empresariado faz? Acaba indo comprar em outro estado.

ADI/Adjori - O senhor tem uma mensagem para o varejista catarinense?

Tauffer - Eu queria deixar uma mensagem que a gente acredita que 2020 vai ser melhor. A gente vem subindo, 2017, 2018, 2019, já teve uma sinalização por alguns índices de que a gente teve esse crescimento. O empresário está acreditando mais. Está apostando e voltou a investir em seu negócio. Isso quer dizer que vem uma melhora por consequência.








logo_rodape.png

Rua Adolfo Melo, 38 - Sala 902 - Centro | Florianópolis-SC | CEP: 88015-090 |
(48) 3298-7979 | jornalismo@adjorisc.com.br