no bolso

Má gestão financeira é o maior motivo para fechamento de empresas, diz especialista

Para educadora financeira, se não há amor pelo que faz, não é hora de empreender

Foto: Divulgação/Fecomércio
Letícia Lucca abriu série de palestras na sede da entidade

Entre junho e julho, a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina (Fecomércio/SC) realiza uma jornada de educação financeira com três especialistas. O primeiro encontro, realizado no último dia 25, em Florianópolis, discutiu o tema voltado à administração de empresas. A palestrante foi a gestora Letícia Lucca. 

Além da palestra, Letícia conversou com a Rede Catarinense de Notícias sobre as dificuldades das empresas em sobreviver e ter sucesso no mercado. Para ela, três pilares são essenciais: planejamento financeiro, fluxo de caixa, e precificação. 


Rede Catarinense de Notícias - Nos últimos anos cresceu a preocupação com o fechamento precoce de empresas. Pesquisas mostram um grande número de falências. Qual a principal dificuldade enfrentada por essas empresas?

Letícia Lucca - Essas pesquisas sempre trazem um dos principais motivos para que essas empresas fechem em até dois anos de idade. Com cinco anos, o número cresce ainda mais. É justamente a má gestão financeira. Quando a gente resolve empreender, resolve abrir um negócio, a gente não tem nenhum lugar onde já antes disso aprendesse a fazer essa gestão e geralmente a gente vai sozinha, atrás de planilhas, atrás de gestão que muitas vezes não funciona. Então, a empresa acaba, por falta de uma gestão financeira, deixando a sua empresa falir ou fechar as portas.

RCN - E como é possível frear este fenômeno?

Letícia - A gente quer identificar quais são esses empreendedores e porque que eles vão falir e quais os que estão na rota do sucesso. Esses que estão na rota do sucesso, o que eles fazem no financeiro para nunca falir, para tornar as suas empresas prósperas e saudáveis? O principal é mostrar que essa receita é muito simples. Tem vezes que a gente fala de finanças e fica com medo, tem receio. É simples. Basta aplicar.

RCN - Qual é o caminho de quem está para falir?

Letícia - É aquele empresário que não sabe para onde está indo o dinheiro da sua empresa, de onde está vindo o dinheiro da sua empresa. Ele não faz planejamento e sem planejamento não traça meta. Sem meta, não chega a lugar nenhum. É o empresário que não sabe se o preço está certo ou se está errado. Qual é o valor do que ele está vendendo além do preço que ele cobra.

RCN - Nos últimos anos cresceu muito o empreendedorismo por necessidade. Qual paralelo pode ser feito com a educação financeira?

Letícia - É muito arriscado quando a gente abre um negócio porque a gente não gosta mais do chefe, então pede demissão, ou por necessidade. Porque empreender e ser empresário vai muito além do que abrir algo por necessidade. A gente sabe que demanda uma energia surreal. Demanda investimento. Demanda tempo. E muitas vezes a pessoa tem uma ilusão, porque empreender está na moda, de que é muito fácil ter um negócio. Então, o que eu percebo é que pessoas que abriram um negócio por necessidade ou porque o marido falou para a mulher ser empreendedora, ou porque não queria trabalhar mais com carteira assinada, são pessoas que estão extremamente infelizes e desgastadas. Por que? Porque não amam aquilo, porque abriram por necessidade, porque viram que a demanda é muito maior do que imaginavam. A gente deixa esse recado: ame o que faz, ou então fique mais um pouco trabalhando em outro local até achar um negócio que primeiro ame realmente para depois entrar no mundo do empreendedorismo.






logo_rodape.png

Rua Adolfo Melo, 38 - Sala 902 - Centro | Florianópolis-SC | CEP: 88015-090 |
(48) 3298-7979 | jornalismo@adjorisc.com.br