Brasil

Cresce o número de empresários que planejam aderir à Black Friday

21% dos empresários devem aderir à data. Percentual médio de desconto deve girar em torno de 24%

Foto: Murici Balbinot/Arquivo
55% dos empresários devem realizar promoções especiais para a Black Friday

Cada vez mais presente no calendário de datas comemorativas do varejo nacional, a Black Friday deve mobilizar mais empresários neste ano. De acordo com a pesquisa feita pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), 21% dos empresários brasileiros, que atuam no comércio e no ramo de serviços, devem aderir ao dia de promoções da Black Friday 2019, que neste ano será comemorada no dia 29 de novembro. No ano passado a adesão foi de 16%.

A pesquisa aponta que os empresários estão esperançosos com a data, sendo que 43% dos consultados acreditam que as vendas em 2019 serão melhores do que as do ano passado, enquanto 32% falam em estabilidade e 11% projetam vendas piores. Os dados mostram que em 2018, a maioria obteve bons resultados de vendas, com 20% deles vendendo acima das expectativas e 43% conforme o esperado.

Na avaliação do presidente da CNDL, José Cesar da Costa, a Black Friday é uma data ainda recente no comércio brasileiro, mas que vem ganhando espaço conforme os anos. "Inspirada nos Estados Unidos, a data chegou ao Brasil com foco na venda on-line. Hoje, já é possível ver o varejo físico aderindo às promoções. É uma oportunidade para vender mais, comercializar estoques parados e também para o empresário avaliar tendências de compra, tornando a sua marca mais conhecida e fidelizar novos clientes", afirma Costa.

Entre as formas de preparação, 55% dos empresários deve realizar promoções especiais e 42% devem investir na divulgação da empresa. O percentual médio de desconto deve girar em torno de 24%, menor que os 29% registrados na pesquisa do ano passado.

De acordo com a pesquisa, 54% dos empresários acredita que a Black Friday não interfere nas vendas de Natal e para 33%, o evento até mesmo contribui para o Natal vender ainda mais. Outros 8% falam em prejuízo no Natal por conta das vendas antecipadas na Black Friday.

Um indicativo de que as vendas da Black Friday não se sobrepõem as do Natal são as diferentes características de compras em cada uma das datas, avalia o presidente do SPC Brasil, Roque Pellizzaro Junior. "Na Black Friday é comum o consumidor aproveitar as ofertas para adquirir produtos para si ou para a casa, principalmente os de valor agregado, como smartphones, eletrônicos e eletrodomésticos. Já no Natal, prevalece a força da tradição de presentear familiares e amigos como força de demonstrar afeto e reforçar laços", explica o presidente do SPC Brasil.






logo_rodape.png

Rua Adolfo Melo, 38 - Sala 902 - Centro | Florianópolis-SC | CEP: 88015-090 |
(48) 3298-7979 | jornalismo@adjorisc.com.br