em festa

Aurora Alimentos completa 50 anos de história em Santa Catarina

15 Abril 2019 12:05:00

Mais de 65 mil famílias de produtores rurais integram a cadeia de produção da cooperativa que atua hoje em 300 municípios

Foto: Murici Balbinot
Natureza cooperativista faz a Aurora cumprir importante papel social, diz Lanznaster

Nesta segunda-feira (15), a Cooperativa Central Aurora Alimentos completa 50 anos de história. Para comemorar a data, a cooperativa promove uma extensa programação com atividades voltadas aos funcionários e à comunidade, como inaugurações de novas estruturas e apresentações culturais. O calendário prevê ações para o ano todo.

"É um sentimento de responsabilidade muito grande pelo que nossos antecessores construíram", disse o vice-presidente da empresa, Neivor Canton. "Temos o privilégio de estarmos aqui nesse momento da Aurora e, ao mesmo tempo, compartilhar esse momento com a sociedade", afirma.

E não faltam motivos para comemorar. Em 2018, a receita bruta da cooperativa foi de R$ 9,1 bilhões, aumento de 2,5% em relação ao ano anterior. Além disso, a empresa registrou crescimento de 7,7% no abate de suínos e de 3,5% na produção de leite.

Para o presidente da empresa, Mário Lanznaster, as perspectivas para 2019 são "estimulantes". Segundo ele, a orientação é seguir investindo para permanecer entre as melhores companhias de alimentos do mundo. Além disso, a natureza cooperativista faz a Aurora cumprir importante papel social, diz Lanznaster.

A cooperativa está presente em 300 municípios de quatro estados - Mato Grosso do Sul, Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Além de empregar 28.149 funcionários, a economia da empresa integra a produção de 65.531 famílias de agricultores.

Essa capilaridade resulta em produção de larga escala. A empresa tem capacidade de abater 20 mil suínos e 1 milhão de aves por dia, além da produção de 1,5 milhão de litros de leite. Para abastecer a cadeia, produziu 1,6 milhão de toneladas de ração ao longo de 2018.

Para Canton, a celebração é, em grande parte, dos produtores. "Isso serve como energia para o cooperativismo para que dê atenção especial aos municípios que criaram o sistema. [A cooperativa] permite às pessoas espaço, oportunidade, para não serem marginalizadas no mercado global que dificulta muitas vezes a sobrevivência da atividade de pequenos produtores", afirma. 

Essa inclusão é essencial para estimular o desenvolvimento regional. "O que nos dá uma realização especial é sabermos que o produto do pequeno produtor chega nas mais longínquas regiões. Ele coloca comida na mesa do japonês, do norte-americano, do europeu, do chinês, dos mercados de consumo mais exigentes do planeta", diz Canton.


Canton: "Nós conseguimos colocar milhares de pequenos produtores embaixo do guarda-chuva das cooperativas". Foto: Luiz Prado/Sebrae

Aposta na indústria do leite ajudou o setor a se destacar

Há aproximadamente 15 anos, a Aurora assumiu o compromisso de entrar no mercado de leite na região. A atividade havia sido deixada de lado por algumas cooperativas a fim de priorizar o beneficiamento de carnes.

Segundo Canton, a entrada no mercado foi uma exigência dos próprios produtores. Assim, o processamento de leite foi a última das três principais atividades industriais da empresa a ser incorporada. O resultado foi o desenvolvimento da bacia leiteira do Oeste, que hoje representa mais de 75% do leite produzido no Estado. De 2006 a 2016, Santa Catarina aumentou a produção em 82% e tornou-se o quarto estado do país em volume de produção: são mais de 3 bilhões de litros por ano. 

O crescimento ajudou o país a alcançar a autossuficiência na produção e começar a mirar o mercado externo. "Nós conseguimos colocar milhares de pequenos produtores embaixo do guarda-chuva das cooperativas. Temos assegurado a eles o mesmo acesso que grandes produtores de outras regiões do país têm para os mercados externos", disse Canton.




logo_rodape.png

Rua Adolfo Melo, 38 - Sala 901 - Centro | Florianópolis-SC | CEP: 88015-090 |
(48) 3298-7979 | jornalismo@adjorisc.com.br