ANTONIO GAVAZZONI
Advogado e doutor em Direito Público
contatogavazzoni@gmail.com
ANTONIO GAVAZZONI

Artigo: Jornalismo local e desenvolvimento

17 Novembro 2017 13:40:00

O que a quantidade de jornais e sites de notícias regionais tem a ver com o desenvolvimento de um Estado? Muito. Isso é o que mostrou o "Atlas da Notícia", uma iniciativa do o Instituto para o Desenvolvimento do Jornalismo (Projor), mantenedor do Observatório da Imprensa. O estudo, divulgado este mês, mapeou o jornalismo local pela distribuição dos veículos produtores de jornalismo no território nacional e cruza dados do governo federal, da ANJ (Associação Nacional de Jornais) e informações enviadas pela comunidade. 

Proporcionalmente Santa Catarina está à frente, com 6,8 veículos mapeados a cada 100 mil habitantes. São Paulo concentra o maior número de veículos, mas lá a proporção é de quatro a cada 100 mil habitantes. Santa Catarina também aparece em 1º lugar no Brasil na análise da concentração de veículos mapeados em relação ao índice de desenvolvimento humano (IDHM) e em relação ao índice de renda medido no IDH.

Não por coincidência, Santa Catarina esteve recentemente no pódio do Ranking de Competitividade dos Estados, com o 2º lugar geral, atrás apenas de São Paulo e 1º lugar em Segurança e em Sustentabilidade Social. Não tenho dúvidas de que, além das ações do poder público e do empreendedorismo dos cidadãos, a cultura de uma sociedade também tem relação com seus indicadores econômicos e sociais. O acesso da população às informações sobre ações da prefeitura, da câmara municipal, sobre contas públicas, saúde, educação, segurança, mobilidade e meio-ambiente amplia a visão de mundo e estimula maior fiscalização sobre tudo o que é do interesse público. Um cidadão melhor informado é menos conformado e mais participativo. E o jornalismo local é o que melhor atrai o leitor, já que o princípio da proximidade é o mais primordial na notícia.

De acordo com o Atlas da Notícia, hoje cerca de 70 milhões de brasileiros - aproximadamente 35% da população nacional - vivem em áreas que não contam com um único jornal ou site de notícias local, especialmente no Norte e Nordeste. Mais um indicativo da relação entre o acesso à informação e os indicadores regionais. O Atlas identificou 5.354 veículos de imprensa impressos ou online distribuídos em 1.125 cidades. E entre todas elas, Florianópolis é a que tem o maior número de veículos de comunicação local do país, com 16,8 para cada 100 mil habitantes. Outro município catarinense, Balneário Camboriú, aparece em 2º lugar.

Na minha experiência de dez anos na administração pública, primei pelo bom relacionamento com os veículos menores, aqueles que transformam a informação burocrática dos gabinetes em informação palatável e de interesse do cidadão comum, com menos acesso à grande mídia. É o repórter na rua que vai conseguir mostrar o que acontece no seu bairro, o que discutem os vereadores da sua cidade, como estão os serviços de segurança, educação e saúde que você utiliza. Quando em cargos públicos, não me furtei em atender um jornalista do interior em detrimento de um colega a serviço de um grande veículo. Acredito que o poder de capilaridade dos pequenos jornais e sites é um dos alcances mais poderosos para a informação de interesse público.

Antonio Gavazzoni, advogado e doutor em Direito Público

contatogavazzoni@gmail.com

logo_rodape.png

Rua Adolfo Melo, 38 - Sala 901 - Centro | Florianópolis-SC | CEP: 88015-090 |
(48) 3298-7979 | jornalismo@adjorisc.com.br