Escola Técnica Dama é referência nacional em educação

30 Março 2012 09:47:00

A escola ficou em 1º lugar na categoria Educação do Prêmio MPE 2012

Fábio Rodrigues
troféu

A vontade em montar algo na área da educação surgiu em 1985. Pedagogo, formado na primeira turma pela Fundação das Escolas do Planalto Norte Catarinense (Funploc), Luiz Carlos de Moraes Damasceno atuava no segmento de manutenção industrial.

Ele é natural de Lages, mas já morou em várias cidades desenvolvendo seu trabalho industrial. Na Rigesa, Damasceno trabalhou como técnico em mecânica. Nesse período, foi um dos fundadores do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Papel, Papelão, Cortiça, Artefatos de Papel, Material Plástico, Químicos e Áreas de Reflorestamento (Sitipelco), em Três Barras. “Meu objetivo era o sistema cooperativo e a qualificação do pessoal. O objetivo, ainda, era montar uma escola dentro do próprio sindicato”, conta. No entanto, essa ideia não deu certo.

Em 1987, saiu da Rigesa e montou a própria empresa de montagem e manutenção industrial. Então, prestou serviços em grandes empresas de São Paulo, Curitiba e na região. “Tínhamos 43 funcionários, mas havia dificuldade com mão-de-obra e contratava muitas pessoas de outras cidades”, afirma Damasceno.

A carência de mão-de-obra qualificada incentivou a montagem do Centro de Qualificação Profissional Dama. “Em 1998, quando começamos com a escola, tinha gente que me chamava de louco por trazer o Ensino Técnico para Canoinhas.” Os primeiros cursos eram de qualificação e a maioria das aulas era ministrada pelo empresário. “Começamos com os cursos de Mecânica Industrial, Caldeiraria, Tubulação Industrial, Desenho Técnico e Soldador Industrial”, diz.

Por cerca de seis anos a escola não sobrevivia sozinha. Damasceno precisou continuar com os serviços de montagem e manutenção como suporte.

Em 1999, a Escola Técnica Dama firmou parceria com o Centro Federal de Educação Tecnológica (Cefet) de Santa Catarina e passou a oferecer cursos de nível pós-médio na área industrial e de saúde, com Eletrotécnica e Enfermagem, respectivamente, que começaram em 2000. “O objetivo era representar o Cefet no Planalto Norte, mas como não seria mais possível prosseguir com os cursos por meio do projeto de extensão da, então, Fundação de Ensino Técnico de Santa Catarina (Fetesc), fomos orientados a montar nossos próprios cursos técnicos”, esclarece.

Hoje, a Escola Técnica Dama oferece 26 cursos técnicos e três cursos pós-técnicos (considerados de especialização). A avaliação dos alunos, mais que quantitativa, é qualitativa. “O conteúdo técnico é importante, mas o fundamental são os valores. O mercado contrata valores.”

Para o diretor da instituição, Canoinhas se tornou um pólo de educação e é preciso que as instituições de ensino unam forças para conquistar mais alunos de outras cidades. “Tendo isso em vista, em breve, a estrutura da escola será transferida para o novo prédio, em fase final de acabamento”, declara Damasceno.

Imagens


SOSDesaparecidos.fw.png
2270155850.jpg

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | O Planalto