ARTIGOS

Artigo

Quem usa cinto de segurança também toma vacina, por Paulo Roberto Gomes

Uma paciente me pergunta se a vacina contra a gripe (influenza e H1N1) também combate o Coronavírus, que causa a Covid-19. A primeira resposta que ocorre ao médico é "não, não combate." Mas, bem pensado, a melhor resposta seria "sim e não" - diretamente, não; mas indiretamente, sim.

Explico. A pandemia que estamos enfrentando é uma doença infecciosa causada por um vírus que fará tanto mais estrago no organismo do infectado quanto ele estiver fragilizado, seja pela idade, por doença pré-existente, ou, por qualquer outra razão, apresentar o sistema imunológico comprometido.

Assim, se a Covid-19 se instala em alguém já infectado pelo vírus da gripe, ele encontra meio caminho percorrido para a pneumonia, que é quando ele pode ser fatal. Então, se a vacina não combate a Covid-19, ela pelo menos protege contra uma doença que pode revelar-se uma aliada dele, a influenza. É exatamente o que faz o cinto de segurança do seu carro, que não evita o acidente - mas, se ele acontecer, você estará melhor protegido se estiver usando o cinto.

Outra razão importante para nos vacinarmos é o fato de a Covid-19 causar uma infecção respiratória semelhante à da gripe, e que imita os seus sintomas, como tosse, febre e, em casos mais graves, pneumonia. Se, na pandemia atual, um paciente apresenta esse conjunto de queixas, e estiver vacinado contra a gripe, fica reforçada a hipótese (repito: a hipótese) de ter a Covid-19. Ele então recebe atenção específica imediata, bem como os cuidados quanto ao seu isolamento, até que o teste aplicável confirme, ou não, a presença da nova doença. Ganha-se tempo.

Infelizmente, o novo Coronavírus têm grandes aliados, que são a desinformação, o boato irresponsável, a falsa notícia que se espalha sem qualquer critério pela internet. Partem de pessoas portadoras de alguma aflição emocional, que as leva a se sentirem importantes, poderosas ou influentes, ao conseguirem assustar e prejudicar seu semelhante. Assim é que estamos todos cansados de ouvir a bobagem criminosa de que as vacinas, na verdade, causam as doenças que prometem evitar.

A vacina constitui um dos maiores feitos da história da medicina e é, sozinha, responsável por boa parte do aumento da nossa expectativa de vida. Claro, como tudo mais que existe, ela pode, eventualmente, dar errado, e trazer algum efeito colateral. Exatamente como o cinto de segurança pode prender o acidentado ao carro batido. Mas, aí, estaremos falando de um caso em milhares, ou milhões, de casos em que a vacina, ou o cinto de segurança, podem salvar a nossa vida.

Então, se você usa cinto de segurança, pelo mesmo motivo tome a vacina.


Por Dr. Paulo Roberto de Miranda Gomes , médico auditor da Fundação Celesc de Seguridade Social (CELOS)

 


logo_rodape.png

Rua Adolfo Melo, 38 - Sala 902 - Centro | Florianópolis-SC | CEP: 88015-090 |
(48) 3298-7979 | jornalismo@adjorisc.com.br