ARTIGOS

Artigo: Restaurar a confiança, por Antonio Gavazzoni

13 Outubro 2017 00:00:00

Em artigo encaminhado aos jornais da Adjori/SC, advogado faz uma reflexão sobre o atual momento político brasileiro e mundial

Antonio Gavazzoni, advogado e doutor em Direito Público

"O que os cínicos não entendem é que o chão se moveu sob eles -- que as discussões políticas mofadas que nos consumiram por tanto tempo não servem mais. A pergunta que fazemos hoje não é se nosso governo é grande demais ou pequeno demais, mas se ele funciona -- se ele ajuda as famílias a encontrar empregos com salários decentes, tratamentos que possam pagar, uma aposentadoria digna. ... E aqueles de nós que administram o dinheiro público terão de prestar contas -- gastar sabiamente, reformar os maus hábitos e fazer nossos negócios à luz do dia -- porque somente então poderemos restaurar a confiança vital entre uma população e seu governo".

Algumas pessoas merecem ser ouvidas por sua biografia, independente de credo ou partido político. Uma dessas pessoas é Barack Obama, ex-presidente dos Estados Unidos, que esteve recentemente proferindo uma palestra em São Paulo. O texto acima é um trecho do seu discurso de posse como presidente, em 2009. De lá para cá, muita coisa mudou. Mas suas palavras e suas angústias seguem atualíssimas.

Um dos aspectos abordados por Obama nessa visita ao Brasil foi a "tribalização" da política, turbinada pela popularização da internet. O ex-presidente abordou a necessidade de renovar a política e superar divisões para encontrar caminhos comuns.

Não há como discordar do estadista. Nesses últimos anos temos visto radicalizações à direita e à esquerda, populismo ganhando espaço e debates abafados por raivosos que não aceitam opiniões diferentes das suas. Essa realidade dividida faz mal à saúde, à educação, à segurança e a tudo que depende da política de alguma forma. Isso porque essas divisões aumentam a distância entre os cidadãos e o poder político. Esse distanciamento dá mais margem a movimentos autoritários como os que vemos brotar não só nos Estados Unidos, mas aqui no Brasil. É um ciclo que precisa ser interrompido. E isso só vai se dar quando a política recuperar sua credibilidade e voltar a atrair bons líderes, em sua essência.

Aproximar interesses diversos é justamente um dos papéis da política, uma arte deturpada por atores mal preparados ou mal intencionados - ou ambas as coisas. Por conta desses, crescemos ouvindo que "a culpa é do Governo". E leia-se aí não só o Poder Executivo, mas o Judiciário e o Legislativo também. Essa é praticamente uma opinião formada na nossa sociedade, que vem sendo passada de geração em geração. Pode parecer insignificante, mas este tipo de pensamento tem um poder negativo imenso sobre a nossa população.

Não foram poucos os políticos que alimentaram e alimentam até hoje essa visão negativa. Só que quanto mais lemos, assistimos e ouvimos falar de corrupção e de baixa eficiência do poder público, menos chances temos de renovação do quadro político. Quem vai querer ingressar numa seara tão mal vista? É preciso coragem para quebrar o padrão.

"Democracia é duro", como disse Obama na palestra em São Paulo. Mas ainda é o melhor e mais justo sistema político. Foi a democracia que permitiu a chegada pela primeira vez de um afrodescendente à presidência dos Estados Unidos. O que falta é retomar a confiança entre as populações e seus governos. E para que os políticos sejam melhores, os melhores precisam ser políticos.

logo_rodape.png

Rua Adolfo Melo, 38 - Sala 901 - Centro | Florianópolis-SC | CEP: 88015-090 |
(48) 3298-7979 | jornalismo@adjorisc.com.br