ARTIGOS

artigo

A pandemia, o rádio e a TV, por Silvano Silva

A pandemia da covid-19 completou um ano desde o primeiro caso descoberto no país. Longe ainda de termos vencido a guerra contra o vírus, não devemos abrir mão de nenhuma ferramenta de enfrentamento à doença. A informação é uma delas. Neste sentido, o rádio e da tv catarinenses vêm cumprindo tarefa relevante durante o período de crise. O novo coronavírus, desconhecido até então, se tornou uma ameaça mundial. No início era precisar explicar, informar e orientar as pessoas sobre o que se tratava. Naquele momento, o rádio e a tv do estado foram fundamentais para levar a informação correta, combatendo a fake news e impedindo o pânico social.

Após o impacto inicial, as emissoras passaram a mostrar a adaptação de todos à nova realidade. Reinvenção foi o conceito que norteou principalmente o setor produtivo, duramente prejudicado com as medidas restritivas. Neste aspecto, a radiodifusão, mais uma vez, que também se reinventou, assumiu papel de protagonismo ao destacar iniciativas corajosas para enfrentar o cenário. Além disso, as emissoras atuaram para aliviar o peso emocional que a luta contra o vírus nos impôs, proporcionado entretenimento e sempre uma mensagem positiva e de conforto à sociedade.

Muito mais do que meros divulgadores da estatística pandêmica, o rádio e a televisão catarinenses estiveram ao lado do cidadão, das instituições e dos gestores públicos com o firme propósito de continuar sendo fonte de credibilidade. Seja para divulgar e incentivar as medidas sanitárias ou para apresentar soluções a quem gera emprego e renda. Não é por acaso que a audiência do rádio e da tv cresceu durante a pandemia. Inclusive nos meios digitais. Fato que acelerou tendência de convergência nas plataformas sociais.

E a vacina chegou trazendo a esperança que o combate ao vírus ganhou um importante reforço, numa verdadeira corrida contra o tempo. Mais vacinas, menos mortes. Neste aspecto, o rádio e a tv de Santa Catarina ampliaram as vozes de todos para a necessidade de um plano mais consistente de vacinação em massa. Enquanto isso, continuamos alertando para os cuidados básicos, como o uso de máscara, distanciamento social e lavar as mãos com álcool.

E o que aprendemos neste ano de pandemia? Renovamos o conceito de empatia. Descobrimos oportunidades, caminhos e rotas quando tudo parecia perdido. E, acima de tudo, reconhecemos os valorosos profissionais que estão na linha de frente no combate ao vírus, assim como os empreendedores e trabalhadores que lutam diariamente pelo sustento de suas famílias. O Rádio e a TV catarinenses nunca foram tão importantes na vida de todos nós.


Por Silvano Silva, presidente da Associação Catarinense de Emissoras de Rádio e TV (Acaert)




logo_rodape.png

Rua Adolfo Melo, 38 - Sala 902 - Centro | Florianópolis-SC | CEP: 88015-090 |
(48) 3298-7979 | jornalismo@adjorisc.com.br